quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Youtube Formula 1 Classic: A Geração Perdida (Tom Pryce)


Ao longo da existência deste blog lembrei profusamente destes três pilotos: Tom Pryce, Tony Brise e Roger Williamson. Do talento destes três pilotos, das expectativas que existiam sobre eles e das suas prematuras mortes, ao longo dos anos 70, em acidentes altamente mediáticos: Williamson, no GP da Holanda de 1973 e Pryce, no GP da África do Sul de 1977. Pelo meio, o acidente aéreo que matou Brise, a 29 de novembro de 1975, no avião pilotado por Graham Hill

O título "Lost Generation" (Geração Perdida) vêm de um livro escrito pelo jornalista britânico David Tremayne em 2006, onde se fala profusamente desses três talentos desaparecidos precocemente, e que poderiam ter abrilhantado ainda mais os anos 70 e 80 na Formula 1 para as cores britânicas. Este é o terceiro video, que fala sobre o galês Tom Pryce.

Ao contrário de Williamson e Brise, Pryce teve tempo para conseguir um palmarés: em quatro temporadas, venceu a Race of Champions de 1975, em Brands Hatch, - uma corrida extra-campeonato - conseguiu uma "pole-position" no GP da Grã-Bretanha de 1975 e mais dois terceiros lugares como melhores resultados, os outros dois pouco ou nada conseguiram, pura e simplesmente porque não tiveram tempo. Tirando uma corrida com a Token, em 1974, todas as outras corridas foram ao serviço da Shadow. Muitos dizem que Pryce era ótimo à chuva, e a sua pole em Silverstone foi nessas circunstâncias.

Em 1977, a Shadow parecia ter um carro capaz e Pryce era definitivamente o primeiro piloto, contra um Renzo Zorzi claramente inferior. Ironicamente, o único ponto que a equipa tinha conseguido até ao GP da África do Sul daquele ano, a terceira prova da temporada, fora conseguido pelo italiano. E as circunstâncias do seu acidente mortal aconteceram - dupla ironia - por causa de Zorzi. O seu carro tinha parado e deitava fumo do motor. Dois jovens comissários de pista, um deles chamado Jansen Van Vuueren, de 19 anos, atravessaram a pista num local de baixa visibilidade e Pryce não teve tempo de se desviar dele, que trazia um extintor. Ambos tiveram morte imediata. 

1 comentário:

Rodrigo Ghiggi disse...

Um lamento mesmo!
Excelente documentário!