sexta-feira, 22 de junho de 2007

Extra-Campeonato: Contado, ninguém acredita!

A história que se segue ocorreu esta quarta-feira, na Holanda. Pode-se afirmar que poderia ter morrido sem que nunca fosse abordado pela Policia, mas algum dia tinha que acontecer. Mas o mais incrível é que isto aconteceu num país plano, desenvolvido, e não num país menos desenvolvido. Certamente deve haver muita gente assim nesse países, mas a policia ainda não apanhou (ou se calhar até apanhou, mas o condutor deu-lhe uma gorjeta para complementar o seu magro salário...)


A noticia vem na última página da edição de hoje do jornal "Público", escrita pela jornalista Andreia Azevedo Soares, e... contado, ninguém acredita!


Não sabemos como se chama, mas da sua vida se sabe o suficiente ficar de queixo caído: tem 84 anos e conduz há 67 sem carta. Podíamos tratá-lo como "o senhor nunca".


Nunca levou o carro à inspecção automóvel.
Nunca teve um acidente.
Nunca foi multado por excesso de velocidade.
Nunca pagou o seguro obrigatório.


E nunca seria descoberto se, na última quarta-feira, não tivesse sido parado pela polícia holandesa numa operação de rotina em Amesterdão. É que o idoso garantiu que estava prestes a entregar o carro à sucata.


É difícil calcular a probabilidade de alguém guiar durante toda a vida sem nunca ser apanhado pela polícia, mas o bom senso sugere que é muito baixa. A polícia tentou então perceber com que frequência o "senhor nunca" tirava o carro da garagem. A pergunta deixou os agentes mais constrangidos: o "senhor nunca" conduzia em média 90 mil quilómetros por ano, o que nos permite concluir que durante a sua existência percorreu algo como seis milhões de quilómetros - ou seja, mais de quatro vezes o diâmetro do Sol.


O caso do "senhor nunca" passou agora a ser o mais improvável a dar entrada nos arquivos holandeses, destronando um recorde que, desde 2005, pertencia a um senhor de 64 anos que há 41 circulava por aí sem quaisquer documentos.


Agora que conhecem a história, penso da seguinte forma: as coisas da vida são muito relativas. Pode-se ter a carta e ser um nabo a conduzir (e conheço muita gente assim), e pode-se começar a conduzir muito cedo (8, 10, 12 anos) e ser um excelente condutor. A carta de condução é um simples cartão de plástico (é assim na União Europeia) que te dá autorização para conduzir. Mas isso não impede que apareçam assassinos na estrada...

3 comentários:

Felipão disse...

hhahahahahahah

incrível!!!

Tenho que concordar que isso acontece muito aqui...

Rogério Magalhães disse...

Putz, quando li, não pude evitar as risadas... minhas e também dos camaradas de seção no trabalho... para ver que efetivamente não existe crime perfeito, uma hora, como se diz aqui, "a casa cai"...

Duas conclusões eu tiro dessa história:

1- dá vontade de repensar minha vontade de tirar carta de motorista este ano. Se o "tiozinho" ficou tanto tempo sem, eu também posso, quem sabe...

2- o "tiozinho" mostrou o caminho das pedras para nosso amigo Groo, que certamente não conseguiria tirar carta com suas propaladas "habilidades ao volante", hehehehehe...

Mas foi bizarra demais a história... acho que vou colocar no Muquifo...

Speeder_76 disse...

Força aí, conta!