quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Speeder questiona... Octeto Racing Team

Desta vez, no “Speeder Questiona…” são quatro convidadas numa. Quatro meninas brasileiras, duas irmãs e duas amigas de sempre, decidiram um dia construir um blog, onde falam da Formula 1 no geral, e de oito pilotos em particular. Curiosamente, nenhum deles é brasileiro… Ludmila e Tatiana Coimbra, irmãs, Vick Zorzim e Luane Magalhães, amigas, fizeram o blog como forma de gozo, e que se tornou em algo mais sério: o Octeto Racing Team. Agora, cerca de um ano depois do seu inicio, as coisas são completamente diferentes. Têm uma legião de fãs, e referências em orgãos de imprensa no país e no estrangeiro, nomeadamente pelo locutor espanhol António Lobato, da Tele 5, que leu os cartazes que colocaram em pista, em Interlagos, palco onde desde 2007 vão assistir a corrida ao vivo.


Antes de passar a palavra às meninas, quero dizer o seguinte: esta foi provavelmente foi a entrevista mais complicada que já fiz até agora, feita por e-mail. Não que as meninas não tenham sido cooperativas, muito pelo contrário, foram super amorosas (um beijo para elas), mas colocar aqui quatro respostas à mesma pergunta foi algo que nunca tinha feito antes, e por vezes tornou-se num quase pesadelo logístico, mas do qual acabou em bem. E as respostas até ficaram boas… Agora, passo a palavra às meninas do Octeto.


1 – Olá meninas, é um prazer ter-vos aqui, neste humilde blog, a responder às minhas perguntas. Querem explicar, em poucas linhas, como começaram este blogue?

Ludy: O estopim para que o Blog do Octeto Racing Team nascesse veio depois do GP de Nurburgring de 2007 após aquele dilúvio em que a maioria dos carros saíram da pista e somente Lewis Hamilton foi resgatado à pista. Brincamos na época que formaríamos a nossa equipe dos sonhos e que os pilotos teriam todos os benefícios possíveis. Da brincadeira, veio a proposta e então nasceu o Blog do Octeto.


2 – O nome que ele tem, foi planeado ou saiu, pura e simplesmente, da cabeça de qual?

Ludy: Ele surgiu da cabeça da Tati (minha irmã). Na realidade costumávamos chamar a nossa equipe de Octeto Fantástico, e daí surgiu o Octeto Racing Team.


3 – Antes de começarem este blog, já tinham participado em algum blogue ou site?

Ludy: Eu já havia participado de um blog com a Luane, no início de 2007, mas que não pudemos levar adiante. Também tive com outra amiga um blog sobre cinema e seriados, e além do Octeto, tenho com a Tati e a Vick um outro espaço para assuntos fora da F-1, o Blog Sonhando Acordadas. Em termos de site, escrevi por três anos a coluna “Visão Feminina” para o F1 Na Veia.

Tati: Sim! Antes do Octeto, eu e minha irmã Ludmila, tínhamos (ou melhor temos) um outro blog chamado Sonhando Acordadas. Por lá falamos de tudo um pouco! Mas foi com o Octeto que entramos de verdade neste mundo bloguístico.

Vick: Não. Possuíamos apenas uma comunidade “fechada” no orkut, onde debatíamos e desabafávamos diariamente sobre F1.

Lu: Eu e a Ludy já havíamos começado um blog entre nós duas mas ele acabou não vingando como Octeto. Também colaborei por um tempo no site F1 na Veia.


4 – Em que dia é que começou, e quantas visitas é que já teve até agora?

Ludy: Acabamos de completar um ano de vida no dia 4 de Novembro de 2008, e já passamos das 53.500 visitas.

5 – De todos os posts que já escreveram, lembras-te de algum que te orgulhe… ou não?

Ludy: Olha, é sempre muito difícil escolher um em especial. Mas recentemente (em Outubro), um que me orgulho muito foi a Semana Kimi Räikkönen, onde compilei em fotos, vídeos, notícias, e textos próprios, a carreira do finlandês, na semana em que ele fez aniversário. Ficou bonito. Eu gostei.

Tati: Nossa!!! Que pergunta difícil! Bom... eu sou uma pessoa bastante emocional e que coloca tudo o que sente nos posts! Às vezes até me arrependo depois por me expor tanto, mas eu sou assim! Como diria a Lu : “ O slogan da Tati é: Muito franca, Falei!”. É bem por aí! E por isso tenho bastante orgulho dos meus posts pós-GP, o chamado “My Comments”.

Vick: Eu, particularmente, tive um dia inesquecível no início do ano. Fiz uma vigília incansável na Internet, e com isso, o Blog do Octeto foi o primeiro site no Brasil, a publicar fotos da Honda 2008. Pena que o carro foi um desastre.

Lu: Nossa! Pergunta difícil porque foram tantos. Tentamos sempre actualizar e abastecer com a maior frequência possível. Não lembro de nenhum especifico mas gosto muito dos posts que faço sobre o Nico e neles tento “mostrá-lo” para as pessoas, uma vez que sinto que ele não é muito conhecido aqui no Brasil. Também gosto muito daqueles posts que surgem quando achamos alguma informação em lugares inusitados como jornais húngaros (a imprensa húngara parece óptima as vezes) e nossa curiosidade e sede por saber do que eles falam fazem com que nos viremos em mil para traduzir e entender os textos.

6 – Este é um blogue diferente: vocês falam dos vossos ídolos, que são Nico Rosberg, Juan Pablo Montoya, Jenson Button, Jacques Villeneuve, David Coulthard, Jarno Trulli, Kimi Raikonnen e Fernando Alonso. Tanta gente para seguir… não deve ser fácil!

Ludy: Não é mesmo. Mas temos um sistema de cobertura personalizada! (risos) Cada uma de nós é responsável por dois pilotos, no meu caso, Villeneuve e Räikkönen. Mas nada que me impeça de postar sobre Trulli, o Octete que todas nós adoramos.

Tati: Ah sim!!! É muito difícil!!! Às vezes sempre falta “cobrir” um piloto ou outro! É muita gente para acompanhar, mas fazemos o possível! (risos) A vantagem do nosso Blog é que somos em 4 e que cada uma de nós é responsável por 2 pilotos... (risos) Assim, fica menos complicado!

Vick: Realmente dá um pouquinho de trabalho... mas dividimos bem as responsabilidades. O mais prejudicado acaba sendo Montoya, porque definitivamente não gosto muito da NASCAR, então é um pouco complicado acompanhar a carreira dele. Mesmo assim, me esforço, porque ele faz parte do meu “pacote”.

Lu: Realmente não seria fácil se fosse apenas uma menina. Mas, somos quatro e dividimos nossos “assessorados”. Claro, que existem aqueles como o Trulli é querido de todas, mas normalmente cada uma cuida dos seus e todos recebem atenção assim.


7 – Daqueles blogues que conhecem sobre automobilismo, qual(is) dele(s) é que vocês nunca dispensam uma visita diária?

Ludy: Entre os jornalistas que cobrem a categoria acesso diariamente no “Dentro e Fora das Pistas” do Felipe Motta, o “Voando Baixo”, o “Blig do Gomes” e também o “Grand Prix Inside” do Mario Bauer.

Já da galera amiga da rede, acesso o Kimi Räikkönen Space, o FKR, o GP Séries, The Henry Channel, o seu blog, e basicamente aqueles que estão no nosso blogroll.


Tati: Ai… são tantos (vou me guiando pela atualização do nosso Blogroll), mas tem um que entro sempre que é o do Felipe Motta.

Vick: Complicado... diariamente passo por 31 sites brasileiros e 23 internacionais. Na verdade, não dispenso nenhum deles (risos)

Lu: Dos jornalistas de carreira eu não dispenso uma passadinha no Blig do Gomes. Adoro a maneira quase azeda e crua como ele aborda certas coisas. Normalmente ele é “do contra” e eu tenho tendência a gostar disso. Outro “do contra” que eu adoro é o Mario Bauer.

Do pessoal como a gente eu visito frequentemente o seu blog, claro. Também do da Aline e o GP Series do Marcos Antônio que são os mais voltados para a a minha querida Williams. Geralmente eu me guio muito pelo blogroll do Octeto. Aliás, agora que traz a manchete do ultimo post ficou bem mais bacana de pesquisar...



8 – Falamos agora de Formula 1. Ainda se lembram da primeira corrida que assistiram?

Ludy: Uma corrida em especial não lembro, mas sim da temporada em que comecei a acompanhar, que foi 1989. A intensa rivalidade entre Senna e Prost. Foi neste ano que pisei em um autódromo, o circuito de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, pela primeira vez, para ver um treino. Meu pai nos levou, e a sensação foi inesquecível. O resultado é que esta paixão dura até hoje. (risos)

Tati: Bom... a primeira corrida de F1 na TV, eu não me lembro! Mas me recordo do GP de Mônaco de 1992! A família estava reunida assistindo a corrida! E eu, atrapalhando o meu pai, ficava perguntando “ Pai, cadê o Senna?!” “ Ué, tem um carro igual ao dele?” (risos) Tadinha de mim, ainda não entendi nadinha de F1!

Agora, a primeira ao vivo é impossível esquecer: GP do Brasil de 2006! Embora em 1989 meu pai tenha nos levado a um treino de F1 em Jacarepagua, 2006 foi a primeira e inesquecível!


Vick: Lembro... não sei se foi a primeira corrida que assisti, mas é a primeira de que tenho lembranças... foi em 1987, GP da Alemanha. Estávamos nas férias de Julho, todos os primos reunidos em uma fazenda. Lembro que as crianças torciam por Piquet, que acabou vencendo a corrida. Minha mãe e minha tia já eram fãs de Senna, que chegou em terceiro lugar com sua Lotus.

Lu: A primeira corrida propriamente dita, não lembro pois era muito pequena. Mas tenho muito vivo em minha memória os feitos de Ayrton Senna, porque meu pai era seu fã e assistia e sofria muito em cada prova. Lembro de ver minha mãe medido a pressão dele durante as provas com medo que algo acontecesse pois, ele se emocionava demais. Mas o primeiro campeonato que acompanhei de forma “consciente”, digamos assim, foi o de 1996.


9 – E qual foi aquela que mais vos marcou?

Ludy: Tenho tantas, Meu Deus!!! Mas fico com duas: GP da Europa de 1997 e GP do Brasil de 2007. Ambas consagraram campeões os pilotos pelos quais torço, sendo que na última, eu estava lá, e foi inesquecível!

Tati: GP do Brasil de 2006, sem sombra de dúvida. Já na minha primeira corrida de Formula 1 tive a oportunidade de ver o piloto por quem torço ser bicampeão mundial, isso é algo inesquecível! Foi um dia especial!

Vick: Nossa, são muitas. Enlouqueci em 1991, quando Senna teve pane seca em 2 corridas seguidas (GP da Inglaterra e GP da Alemanha), não me conformava, não entendia como a McLaren havia deixado aquilo acontecer. Essa primeira pane, em Silverstone, me trás outra lembrança maravilhosa, de Mansell dando carona (boleia) para Senna. E como esquecer das duas vitórias de Senna no Brasil, são cenas e emoções que jamais sairão de minha mente.

Mais recentemente, o GP da Europa de 1997, em que Jacques Villeneuve sagrou-se campeão do mundo... e falando em Jacques, nunca me esqueço do GP da Austrália de 1996, corrida de estreia do canadense na F1, que só não venceu, porque foi traído pelo motor.

Nossa, são muitas... deixei de falar de várias.


Lu: GP da Europa em Jerez em 1997, quando Jacques Villeneuve tornou-se campeão.


10 – Fittipaldi, Piquet e Senna. Qual dos três é aquele que mais agradam, e porquê?

Ludy: Ayrton Senna. Gosto da determinação cega, da busca incansável pelo limite próprio e do carro, do perfeccionismo levado ao extremo, da capacidade de concentração impressionante que ele tinha. Sem contar a habilidade na chuva. Respeito muito Emerson e Piquet por tudo que fizeram e representam para nosso esporte, mas Senna é o melhor dos três para mim.

Tati: Ai... Que difícil! Cada um tem um estilo bem diferente de ser! Dentro das pistas eu vi pouco, mas ainda assim prefiro o estilo Senna! Um mestre na arte de pilotar! Mas Nelson e Emerson são óptimos pilotos e campeões, né? Fora das pistas, gosto da sinceridade do Nelson Piquet, embora desaprove certas atitudes e brincadeiras, mas o estilo malandro carioca que ele tem, é muito divertido! Eu adoro o Senna, mas ele sempre foi muito marketeiro e Emerson é normal até demais! (risos)

Vick: Pergunta difícil. Admiro os três, mas no momento, penso que é Nelson Piquet. Não só como piloto, mas por sua postura sempre verdadeira e directa.

Lu: Putz! Na verdade eu gosto dos três e acho que cada um deles tem algo que me atrai. Pela minha idade lembro mais do Senna e Piquet mas, depois li sobre o Fittipaldi e a garra e vontade dele como um dos pioneiros na Europa em encantaram também. Gosto de gente aguerrida como ele e Senna mas, também, como já disse gosto de gente “do contra” como o Piquet. Porém, acho que ainda fico com o Senna por ser quem está mais vivo na minha memória.


11 – E acham que algum dia, Felipe Massa vai fazer parte deste trio de campeões?

Ludy: Acho que Massa tem grandes chances de se tornar campeão. Amadureceu muito este ano e provou que está pronto para a briga.

Tati: Não gosto do Felipe Massa, mas o considero um bom piloto. Este ano evoluiu muito, engoliu as críticas e a partir delas, encontrou a motivação para melhorar. Mas ainda assim, Felipe é um piloto limitado. Ele tem arrojo, mas sucumbi diante grandes adversidades, a chuva é um belo exemplo disso. Para chegar ao nível destes 3 grandes mestres será preciso fazer muito, com no mínimo um bi-campeonato, como Emerson!

Vick: Infelizmente, principalmente para os brasileiros sedentos de um ídolo, acho que vai demorar para Felipe ter a chance que teve este ano. A F1 está se renovando, são muitos talentos em pista, e confesso, que apesar da evolução deste ano, existem pilotos muito a frente do brasileiro.

Lu: Se ele seguir na Ferrari e ela manter o bom nível de equipamento acho que ele tem todas as condições para tal. Mas, como não gosto muito dele não o colocaria jamais no patamar dos citados anteriormente. Vejo que tem um grande talento mas acredito que assim como existem pilotos e pilotos também, existem campeões e campeões.


12 – Comparando-o aos três pilotos acima referidos, Massa é mais parecido com quem, e porquê?

Ludy: Não vejo similaridades. Massa ainda está abaixo de qualquer um dos três. Ele tem talento, mas não o vejo com características de nenhum dos pilotos acima.

Tati: Não sei... cada um tem seu estilo! Não acho que Felipe se pareça com nenhum dos três.

Vick: Ahhh, não consigo fazer uma ligação. Acho ele completamente diferente dos três. Completamente mesmo.

Lu: É difícil dizer. Não vejo em massa o carisma e determinação enlouquecida de Senna, por exemplo. Não tem definitivamente o humor e a audácia Piquet, também. È difícil dizer, até porque são gerações muito distintas e a Formula 1 de hoje é plastificada e fachada, vácuo se comparada à Formula 1 de antigamente. Hoje exige-se dos pilotos características diferentes.


13 – Acham que o título de 2008 foi bem entregue?

Ludy: Ganhou quem fez mais pontos, e Lewis fez o trabalho mais perfeito para chegar ao título. Porém, acho que Massa teve mais consistência da segunda metade da temporada em diante, mostrou-se mais amadurecido para o título, acho que foi melhor.

Tati: Ai! Será que preciso responder esta pergunta!?? (gargalhada)

Não! Não acho que o Hamilton mereça este título, primeiro pelo que ele parece ser fora das pistas: um rapaz de atitudes arrogantes ao extremo. Ao meu ver, um campeão mundial começa a se formar através das atitudes, e neste quesito ele está mal. Dentro das pistas é um menino muito talentoso, mas que, às vezes, faz um uso errado deste talento e da sua auto-confiança. É imprudente, não respeita seus companheiros de trabalho e comete muitos erros (erros estúpidos, diga-se). Na verdade, esta temporada foi marcada pelos erros, e aquele que menos errou levou a taça! Não foi à toa que este campeonato foi o de menor aproveitamente dos últimos 10 anos. O que vou falar aqui poderá parecer coisa de torcedora, mas pelo desempenho ao longo de toda a temporada o piloto que mais mereceria o título de campeão seria Fernando Alonso. Mas como isso não foi possível e disputa ficou entre Felipe e Lewis ... eu fico com Felipe!

Vick: Em uma temporada, em que a Ferrari cometeu tantos erros, não poderia ser diferente. Torci por Massa, mas confesso que o resultado acabou sendo justo, não pela capacidade do piloto campeão, mas como lição para a Scuderia.

Lu: O título foi entregue ao piloto que somou mais pontos no final como deveria ser. Acho que Massa foi melhor piloto que Lewis a partir do meio da temporada para o final. Mas, Lewis contou com erros dos adversários e administrou a vantagem que tinha.


14 – Tirando os brasileiros, qual é para vocês o piloto mais marcante da história da Formula 1, e porquê?

Ludy: Gilles Villeneuve. Infelizmente não pude vê-lo correr, mas graças a Internet, temos o Youtube. Ele era simplesmente maravilhoso. Parecia que nada no mundo existia mais quando ele estava em sua Ferrari. Era perfeito.

Tati: Bom... tirando Ayrton Senna, obviamente o piloto mais marcante da história da F1 chama-se Michael Schumacher. Os seus números e recordes falam por si. A Formula 1 mudou (para pior, diga-se de passagem) por causa dele. Eu pessoalmente não o considero o melhor, nunca gostei das táticas que ele usava para vencer, mas não posso fechar os olhos para o seu talento e seus números.

Vick: Alain Prost. Piloto aguerrido, sempre correndo com muita raça. Enfrentou Senna, sem medo. Ao mesmo tempo, é um dos pilotos de mais carácter e educação que eu vi correr.

Lu: Gilles Villeneuve pelo, talento, garra, determinação, empenho e audácia. Sem contar que conseguiu, mesmo sem ter sido campeão deixar uma marca mais profunda que muitos pilotos que figuram no hall da fama da categoria.


15 – Para além de Formula 1, que outras modalidades de automobilismo que vocês mais gostam de ver?

Ludy: Adoro as “24 Horas de Le Mans” e o campeonato que ela faz parte, o Le Mans Series. Passei a acompanhar quando Jacques Villeneuve foi competir por lá. Além disso, acho o Rally (WRC) algo impressionante, pilotagem para quem é realmente corajoso e competente. E este ano acompanhei também um pouco da MotoGP, bem bacana.

Tati: Confesso que acompanho pouco as outras categorias. Às vezes, GP2, Indy, Stock Car e Superleague.

Vick: De longe, a Le Mans Series. Me apaixonei pela categoria. Tudo culpa de Jacques Villeneuve. Gostaria de vê-lo correndo o campeonato inteiro, seria um presente.

Lu: Adoro monospostos. Uma pena o Brasil não investir mais em categorias de monopostos. No Turismo, gosto muito da DTM e as vezes assisto rally. Mas, infelizmente não consigo acompanhar mais nada com o mesmo empenho e conhecimento da Formula 1.


16 – E acham que vale a pena falar sobre eles no vosso blogue?

Ludy: Acho muito válido. Não sou conhecedora profunda, mas gosto de opinar, ler os comentários dos leitores e aprender sobre estas categorias. Sempre postamos algo com relação a elas.

Tati: Sim, claro! Mas ainda estamos devendo mesmo ponto! Os octetes sugam toda a nossa atenção... (risos)

Vick: Já falamos... aliás que falamos sobre Rally, Motovelocidade... somos bem ecléticas.

Lu: Valer vale, mas prefiro não me arriscar a falar sobre algo que não tenho tanto domínio. Acho melhor não tentar discutir e opinar sobre aquilo que não se conhece bem.


17 – O que é que já alcançaram, em termos de prémios, convites referências… desde que iniciaram o vosso blogue?

Ludy: Fomos indicadas ao Prêmio Podcast 2008 por voto popular, e agora estamos entre os finalistas para escolha de melhor Podcast categoria Esporte, pelo voto do júri especializado, o que é muito especial mesmo. Mas acima disso tudo está o respeito e o carinho, além das amizades, que conquistamos através do blog. É extremamente gratificante e verdadeiro o feedback que recebemos. Faz tudo valer a pena.

Lu: Fomos indicadas ao Premio Podcast 2008 para a votação do público e agora para a eleição do júri. Mas a melhor coisa que já recebemos no blog com certeza é amizade e o carinho dos leitores. Nenhum prémio deve superar isso.


18 - “Correr é importante para as pessoas que o fazem bem, porque… é vida. Tudo que fazes antes ou depois, é somente uma espera.” Esta frase é dita pelo Steve McQueen, no filme “Le Mans”. Concordas com o seu significado?

Ludy: Sim, e aqueles que o fazem bem, independente de serem campeões ou não, serão inesquecíveis.

Tati: Sim... porque depois que você começa a seguir este caminho não há mais como parar!!! Basta um ronco do motor e pronto! Olha que eu estou do outro lado, hein? Imagine quem está dentro do cockpit?!

Vick: Quem sou eu para discordar. Eu, que nem sou piloto, considero isso a minha vida. É uma das experiências mais enlouquecedoras e grandiosas que já vivi. Cada vez que me lembro do barulho dos motores, em seu giro mais alto, antes da largada, penso que é o esporte mais apaixonante pelo qual eu poderia torcer.

Lu: Imagino que defina bem o que um piloto sente. Tiro por base a minha visão de fã do esporte, que durante a temporada “pauta a vida de 15 em 15 dias” mesmo sem sair do sofá da sala...


19 - Tens algum período da história da Formula 1 que gostarias de ter assistido ao vivo?

Ludy: Queria muito ter visto Gilles Villeneuve pilotar. Presenciar, vivenciar intensamente a carreira deste piloto que na minha opinião foi uma dos maiores da história da F-1. Gostaria também de ter visto Jackie Stewart e James Hunt ao vivo, por tudo que falam dos dois e pelo que vi em vídeos.

Tati: Sem dúvida alguma os anos 80 no auge da disputa entre Ayrton Senna e Nelson Piquet!!! Até hoje fico na dúvida de qual lado eu estaria! (risos)

Vick: Sim... sem dúvida alguma, queria ter vivido a carreira de Gilles Villeneuve. Gostaria de tê-lo assistido ao vivo, de ter torcido por ele em tempo real, e não pós-morte. Acho que é uma das coisas pelas quais mais lamento na F1. Mas ainda bem que existe Internet, assim posso matar um pouco dessa curiosidade.

Lu: Adoraria ter visto Gilles correr! A época era triste, a morte estava sempre a espreita, mas mesmo assim vê-lo correr com toda aquela gana e paixão teria me emocionado.


20 - Costumas jogar em algum simulador de corridas, como o “Gran Turismo”, o “Formula 1”, ou jogos “online”, como o BATRacer ou o “Grand Prix Legends”?

Ludy: Não, não sou muito boa de jogos. (risos)

Tati: Não! Confesso que entendo muito pouco sobre esses simuladores. O pouco que sei sobre o assunto foi o amigo Nuvolari que me apresentou!

Vick: Ih, sou péssima em video-game.

Lu: Jogar seriamente não. Mas, já brinquei no Gran Turismo para PS2 e Formula 1 para PC (uma versão mais antiga). Porém eu sou uma verdadeira tragédia jogando... Só me saio razoavelmente bem com todos os assistentes ligados... (risos)


21 - Já alguma vez viste a briga entre o René Arnoux e o Gilles Villeneuve, no GP de França de 1979? Para ti, aquelas voltas finais significam o quê?

Ludy: Sim, diversas vezes, e não me canso de fazê-lo. Uma luta incessante pela vitória apenas? Não, uma disputa limpa, justa, de pilotos bravos, talentosos, que juntos travaram o maior duelo da história da F-1 (para mim) e que em nenhum momento se destruíram, mas sim se complementaram. Simplesmente traduz a essência do automobilismo, na minha humilde opinião de seguidora apaixonada pelo esporte.

Tati: Claro que vi!!! Aquilo é “racing car” de verdade! É a essência deste esporte: o pilotos e carros no limite! É simplesmente SENSACIONAL!

Vick: Nossa, vejo mil vezes. Sempre que posso assisto novamente. É um dos momentos mais épicos da Formula 1, na minha opinião. Aquilo demonstra a competitividade e a capacidade de pilotos geniais. Sempre digo, que considero estes homens, que pilotam a 300 Km/h, os seres mais capacitados da face da terra. Aquelas cenas, só me fazem amar mais ainda este esporte, e ao mesmo tempo, lamentar a ausência de Gilles Villeneuve. Ele ainda tinha muito a nos mostrar.

Lu: Claro!!!! Para mim significam a gana por vencer, o desejo mais puro de ser melhor e mais rapido que o adversário. Assim que deveria ser sempre.


22 – Vamos falar do futuro próximo: Bruno Senna, Lucas di Grassi, Nelson Piquet Jr. Um já está lá, os outros dois querem lá chegar. Achas que algum dos três tem estofo de campeão? Se sim, qual?

Ludy: Nelsinho teve um ano de estreia complicado, mas acredito que tem potencial e que vai provar isto neste ano. Lucas di Grassi só precisa da oportunidade, acredito que dos três é aquele que está mais bem preparado para um possível título. Quanto ao Bruno, acho que tem talento também, mas vai precisar ser paciente e aproveitar as oportunidades para sabermos a que nível chegará. Mas no final das contas, o Brasil terá um futuro promissor na F-1 com estes três. Tenho certeza.

Tati: Nossa... para 2009 não acho nada! (gargalhada) Este ano eu colocava muito fé no Nelsinho, e ele, ao meu ver, foi uma certa decepção, mas por favor, não no sentido pejorativo! Acho que ele tem talento, só que para ser campeão será preciso muito, muito mesmo! Senna já demonstrou que é rápido e muito bom na chuva, mas não é só disso que se faz um campeão mundial. Di Grassi foi fantástico na GP2 nesta temporada 2008, porém F1 é outra história. Portanto, eu sinceramente não sei o que dizer! Mas gostaria que pelo menos um deles (não importa qual) fosse campeão.

Vick: Pergunta complexa. Dos três, vejo o perfil de campeão em Lucas Di Grassi, mas não sei se ele terá a chance de mostrar do que é capaz. A Formula 1 tem apenas 20 vagas, e no momento, parece que não há lugar para ele. Ao mesmo tempo, espero que Piquet e Senna contrariem essa minha opinião.

Lu: É cedo para dizer mas, gosto muito da personalidade que o Piquet Jr. mostra. Não gosto dos chorões e com todas as dificuldades pelas quais passou na última temporada (a imprensa inteira o trocando até pelo Sato, veja só!) não lembro de ter lido uma entrevista na qual ele “chorasse” pela sua situação. Confesso que não conheço muito bem os outros dois. Mas desejo uma cabeça forte ao Bruno, pela pressão que vão colocar nas costas dele, e admiro o Di Grassi pelo desempenho na GP2. Entrar em uma categoria no meio da temporada e somar os resultados que somou não é tão comum assim.


23 – Têm algum plano para o blogue, no futuro próximo?

Ludy: Sim, estamos agilizando algumas novidades, mas só chegarão a partir de 2009 (risos)

Tati: Ah! Sim... temos muitos planos!!!!! Mas por enquanto é segredo!!!! 2009 promete! (gargalhada)

Lu: Temos vários... Mas, até o lançamento serão uma doce surpresa. (risos)

8 comentários:

Henry disse...

Bem, o que falar de minhas amigas?
É um blog que combina informação, bom humor e paixão.

E ainda tem leitoras como a Leticia AA: "alguém me amarrota que eu tô passada"

Indispensável uma passadinha diária...

Beijos meninas

Octeto Racing Team disse...

Speeder....amei!!!! Amei!!! Muitíssimo obrigado pelo seu carinho, pela divulgação, pelo apoio que nos deu desde o nosso início. Obrigado mesmo, de coração.

Beijinhos, Ludy

Lu M. disse...

Speeder!!!
Adorei!!! Muito obrigada pelo carinho que teve concosco desde de o início!
Ficou o máximo a entrevista. A montagem que tu fizeste ficou muito boa! Parabéns!
Estou me sentindo muito chic hoje! hehehehe
Beijos, Lu M.

Daniel Médici disse...

Muito boas, as meninas! Vou passar a acompanhar mais de perto o blog delas depois dessa entrevista

Anónimo disse...

Muito legal esse post "Speeder questiona..." Speeder foi muito bem nas perguntas e as meninas foram muito bem nas resposta! Gostei de ver! Estão todos de parabéns!

Vida longa ao Continental Circus!
Vida Longa ao Octeto Rancing Team!

Octeto Racing Team disse...

Speeder!!!!!!!!!!
Aiii... muito obrigada!!!!
Você nos apoiando!!! Nunca nos esqueceremos disso!! Nunca!
Obrigada por nos convidar!!!!
Eu ameiii... muito mesmo!!
Ficou colorido!!!Cada uma com sua cor...hehehe
Muito legal!!

Muitos bejinhos do octeto p/ vc!!

Tati

Vick disse...

Speeder!!!
Amigos querido, sempre nos apoiando!

Parabéns pelo trabalho!!!

Amei!

Beijo!

Vick

Marcos Antônio disse...

Boa meninas!O Octeto é visita obrigatória pra mim,mesmo com o Alonso e o Coulthard,né?rs

Show de entrevista,já estou esperando o próximo convidado!