terça-feira, 15 de março de 2011

Se antes as esperanças eram minimas...

... agora devem estar reduzidas a zero. O governo barenita pediu aos estados vizinhos, como a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos para que enviassem tropas para acalmar os ânimos e decretou ontem o estado de emergência por três meses. Mesmo que os olhares estejam desviados para a Libia e o Japão, por diferentes razões, as manifestações continuavam naquela ilha do Golfo Pérsico, com os xiitas, maioritários na ilha, a reclamarem por mais direitos civis e uma monarquia constitucional. Alguns até querem o fim da monarquia.

Ainda não se sabem quantos ficaram feridos ou até mortos, mas as imagens de Manama são impressionantes. Com isto tudo, parece que para 2010, os pedidos de adiamento já caíram em saco roto e Bernie Ecclestone vai ter de se haver sem os 40 milhões de dólares que costumava receber da família real para acolher a Formula 1 por lá. Antes disso, já tinha de se haver com os 20 milhões que acabou por não receber devido ao fato de a corrida barenita ser a prova de abertura do campeonato.

E não sabemos ainda quando e como é que isto vai acabar. Caso isto se arraste por vários meses, provavelmente a ideia de um GP do Bahrein em 2012 vai ser algo que teremos de riscar no horizonte. Não é, Bernie Ecclestone?

1 comentário:

F-1 A.L.C. disse...

esa intervención por parte de dos gobiernos con claros lazoz con la OTAN me ha parecido una invasión vedada.

ahora solo nos falta una epidemia de mormo equino en australia, de cólera en Monza y de fiebre de las montañas rocosas en Austin. esta temporada está embrujada, y algo me dice que la bruja ex-mujer de Ecclestone tiene algo a ver con esto

(em castelhano por falta de ánimo)