terça-feira, 18 de junho de 2019

As colisões entre a Formula E e a Endurance

A revelação do calendário de 2019-20 da Formula E mostra que existem pelo menos três colisões de datas entre o mundial de carros elétricos e o de Endurance, o que poderá prejudicar os programas de alguns dos pilotos que participam nas duas categorias, como Sam Bird e António Félix da Costa, entre outros

Segundo consta, a segunda corrida do calendário, que em principio será em Marrakesh, colidirá com as Seis Horas do Bahrein, a 14 de Dezembro, enquanto a proa na China, a 21 de março, acontecerá um dia depois das Mil Milhas de Sebring. Quanto às Seis Horas de Spa-Francochamps, esta acontecerá ao mesmo tempo que a ronda da Formula E em Seoul, na Coreia do Sul.

Estas colisões de calendário, não sendo todas coincidentes, colocam contudo um grande desafio logístico, dado que os pilotos não andarão em corridas um a seguir ao outro.

Jean Todt, o presidente da FIA, justificou estas coincidências como sendo o resultado de "equívocos" e já pediu para que se tente encontrar uma solução para esta situação.

Para dizer a verdade, tenho outras coisas para fazer na minha agenda do que olhar cuidadosamente para os calendários. Percebi quando o calendário foi proposto que há algumas sobreposições. Fiz uma comissão, onde as pessoas deviam sentar-se e trabalhar em conjunto. Se temos uma comissão e as pessoas não se encontram, lamento.”, começou por afirmar.

Provavelmente há alguns desentendimentos e algumas dificuldades com os calendários. É algo que eu tenho expressado com muita frequência. Temos 52 fins de semana no ano e infelizmente, há algumas datas sobrepostas entre alguns eventos e alguns campeonatos.”, continuou.

Claramente, sabemos que há interesse em certos pilotos em participar em ambas as competições. Então agora, à luz do que aconteceu, já pedi ao meu pessoal para ver se algumas soluções poderiam ser encontradas. Devo dizer que não é fácil – porque cada campeonato tem suas próprias necessidades e problemas para resolver. Mas se for algo que possamos melhorar, faremos isso. É tudo o que posso dizer.”, concluiu.

Contudo, Todt mostrou desagrado pelo facto da comissão responsável pelos calendários não se ter reunido antes da divulgação deste calendário provisório:

Sinto-me um pouco insatisfeito por esta comissão não se ter reunido para tentar resolver o problema antes. Mas nunca é tarde demais para tentar.”, concluiu.

CPR: Teodósio quer ganhar em Castelo Branco

Com o Campeonato Português de Ralis a entrar na fase de asfalto, a começar com o Rali de Castelo Branco, Ricardo Teodósio, o atual líder, deseja continuar nos triunfos e na liderança do campeonato. Para o piloto algarvio, que ganhou aqui em 2018, apesar da mudança de superfície para este ano, o objectivo é o mesmo.

Estamos muito motivados para o início da fase de asfalto e o Rali de Castelo Branco pode ser um ponto importante na nossa época”, começou por afirmar o piloto da Guia, que ai competir com um Skoda fabia R5. 

Depois da fase de terra, vamos testar esta segunda-feira no asfalto e tentar encontrar um bom set up, já que o campeonato deste ano está muito competitivo e é importante estarmos confiantes no carro para atacar. Estou convencido que estaremos novamente na luta pela vitória”, concluiu, ele que continua a ser navegado por José Teixeira.

O rali de Castelo Branco, que acontecerá nos dias 22 e 23 de junho, terá dez provas especiais de classificação e quase 130 quilómetros de troços que serão corridos contra o cronómetro. 

segunda-feira, 17 de junho de 2019

Youtube Motorsport Video: O Toyota GT Concept

Regulamento anunciado no sábado, carro mostrado no domingo. O video tem alguns meses, foi filmado em Fuji, e parece mais ser um concept. Mas com a Toyota a ter uma palavra a dizer nos regulamentos para os hipercarros a partir de 2020 - do outono de 2020, diga-se - não ficaria admirado se isto ser a base do hipercarro da marca.

Em suma, já andam a fazer o "trabalho de casa" desde há muito, com o objetivo de continuar como estão agora: dominar a Endurance e continuar a triunfar nas 24 horas de Le Mans. 

Youtube Motoring Show: O volante do Tesla Roadster


Quando se mostrou a segunda versão do Tesla Roadster, em 2017, mostrou-se também o seu volante, que era fora do vulgar. O carro, que começará a ser comercializado em 2020, e que poderá ter uma velocidade máxima de 450 km/hora e uma aceleração de 0 aos 100 em menos de dois segundos, afinal, vai ter o tal volante invulgar. Pelo menos é o que poderemos ver neste video do site electrek.


WRC 2019 - Rali da Sardenha (Final)

Quando tudo parecia que o triunfo iria cair nas mãos de Ott Tanak... a sua direção assistida deixou-o mal em pleno Power Stage, e o lugar mais alto do pódio acabou por ficar, de forma inesperada, nos braços da Hyundai e de Dani Sordo, que conseguiu assim a sua primeira vitória do ano. Ainda assim, o quinto lugar de Tanak, que foi final, tornou-se suficiente para sair da Sardenha com o comando do campeonato. Mas como já aconteceu no passado noutras categorias, ver a vitória alterar-se à vista da meta ainda é algo inesperado.

Com 25,9 segundos de diferença entre Tanak e Sordo, o dia de domingo começaa com duas passagens por Cala Flumini e Sassari - Argentiera, uma delas como Power Stage. Andreas Mikkelsen entrou o dia a ganhar, talvez para apanhar Elfyn Eans no quarto posto. Contudo, aqui, a diferença entre ambos foi de 0,2 segundos, com Tanak a ser terceiro, 3,5 segundos atrás e com uma toada conservadora. A mesma coisa aconteceu nos três especiais seguintes, mas só deu certo na última especial quando o norueguês apanhou o piloto galês da Ford. Mas essa recuperação ficou ensombrada pelos eventos do Power Stage, que lhe deu um inesperado terceiro lugar final.

"É inacreditável. Eu não tenho palavras para descrever isso. Mesmo com o erro de Tanak, é incrível ganhar. Sinto muito pelo Ott.", disse Sordo no final do rali, com esta vitória a cair ao seu colo. E é verdade: antes da Power Stage, o estónio tinha 26,7 segundos de vantagem sobre Sordo, e tinha tudo para ganhar. E ali perdeu mais de dois minutos e doze segundos, devido a uma falha na direção, algo do qual também Jari-Matti Latvala também sofreu, na sexta-feira.

Parece que Jari-Matti Latvala e o Ott Tanak tiveram o mesmo problema. Não é algo que já tenhamos visto antes. Tudo o que sabemos é que os componentes que vieram a este rali eram todos do mesmo grupo. Vamos investigar, mas hoje é difícil dizer o que é. Precisamos de verificar tudo”, disse o engenheiro-chefe da Toyota, Tom Fowler.

No final, a diferença entre Sordo e Suninen, o segundo classificado, foi de 13,7 segundos, com Mikkelsen a ser terceiro, a 32,6 segundos, mais 0,9 sobre Elfyn Evans. Tanak era quinto, a um minuto e 32 segundos, na frente de Thierry Neuville, a dois minutos e 16 segundos. Esapekka Lappi foi o sétimo, a dois minutos e 59 segundos, na frente de Kris Meeke, a quatro minutos e 40. E a fechar o "top ten" ficaram os Skoda do finlandês Kalle Rovanpera e de Jan Kopecky, respectivamente, a oito minutos, 24,6 segundos e oito minutos, 49,2.

Agora, o WRC descansa por mais de um mês, até à Finlândia, onde decorrer o rali local entre os dias 1 e 4 de agosto.

domingo, 16 de junho de 2019

As imagens do dia


E chegou ao fim mais uma edição das 24 Horas de Le Mans. Já se sabia quem iria ganhar, mas o mais interessante seria saber se os triunfadores de 2018 seriam os mesmos de 2019. Afinal, acabaram por ser, logo, será interessante falar dos três que acabaram por repetir o lugar mais alto do pódio e serem campeões do mundo da Endurance.

A vitória de Fernando Alonso seria esperada, especialmente depois do fracasso que foi a sua participação nas 500 Milhas de Indianápolis, no mês anterior, mas vê-lo a acabar como campeão do mundo de Endurance, doze anos e meio depois de ter sido campeão na Formula 1, até foi bom para o seu rico palmarés no automobilismo. Depois de ter conseguido esse feito, vai abandonar a equipa da Endurance para fazer outras coisas na vida, mas ele já disse que pretende regressar, para competir na nova classe dos Hipercarros, categoria do qual a Toyota já disse que participará.

Quanto a Kazuki Nakajima, é ótimo voltar a ver num nome tão famoso no Japão no lugar mais alto do pódio e ser campeão, algo que nem o seu pai, nem o seu irmão Daisuke conseguiram, mas Kazuki mostrou que é muito mais que um mero funcionário exemplar da marca, saber ser veloz sem atrapalhar, como também é o seu compatriota, Kamui Kobayashi.

Sebastien Buemi, continua a enriquecer a tradição automobilística suíça, e de uma certa forma, compensa a temporada modesta que está a fazer este ano na Formula E ao serviço da Nissan... rival da Toyota, mas não competem juntos na Endurance. Claro, não saberemos bem como será no futuro, com a tal classe de Hipercarros, mas com a tradição japonesa de competir na Endurance, nunca se sabe.

De resto, foi fantástico ver os carros da classe GTE Pro. Todos aqueles carros, em carreiro, na reta das Hunaudriéres, a rolar a mais de 350 km/hora, juntos a competir por uma posição, ao fim de horas e horas de corrida, é um feito. Os desenvolvimentos técnicos, a resistência dos materiais e os erros feitos pilotos que são logo corrigidos por causa das escapatórias de asfalto, fazem com que esta corrida de resistência seja cada vez mais longas corridas de "sprint", durando oito, dez, doze, catorze e mais horas. Na hora final da corrida, havia quatro ou seis carros na mesma volta do vencedor, demonstrando que as coisas evoluíram muito.

De resto, gloria aos vencedores - com três brasileiros a vencer, cada um na sua categoria! - e parabéns aos que chegaram ao fim. Muitas das vezes, chegar à banderia de xadrez é a maior das vitórias. E ano que vêm, haverá mais.

WRC 2019 - Rali da Sardenha (Dia 2)

Ott Tanak lidera no segundo dia do Rali da Sardenha, num rali marcado pela sua dureza. Pilotos como Jari-Matti Latvala e Thierry Neuville tiveram avarias e despistes, caindo bastante na geral, deixou o estónio mais à vontade. O piloto da Toyota tem agora 25,9 segundos sobre Dani Sordo e 42,9 sobre o Ford de Teemu Suninen, após 15 especiais de classificação.

Com Sordo a liderar no final do primeiro dia, 10,8 segundos na frente de Teemu Suninen, as coisas para o segundo dia prometiam ser fortes e duras. E foi o que aconteceu, começando o dia com Tanak ao ataque, vencendo na primeira passagem por Colliuna-Loelle e reduzindo a diferença para com Sordo, que foi segundo, a 6,5 segundos. No Monti di Allá, Tanak tornou a triunfar, tirando mais 2,1 segundos a Sordo, e reduzindo a diferença para 2,6. 

Atrás, Ogier parava de novo, com danos na suspensão traseira direita, e parecia que a sua recuperação não iria lá muito longe...

A manhã acabou com Tanak ao ataque e a vencer em Monte Lerno, dando noe segundos a Dani Sordo e a ficar com o comando do rali. Suninen foi o terceiro, a 12,3 segundos, consolidando o mesmo lugar. No final, o estónio deveu este resultado à escolha de pneus.  "Tivemos que nos esforçar muito. Neste tivemos um erro, perdemos algum tempo, mas está tudo bem. Definitivamente [tivemos] a escolha certa nos pneus."

A tarde continuou a tendência da manhã, com Tanak novamente a triunfar na segunda passagem por Colliuna-Loelle, ganhando 3,4 segundos sobre Sebastien Ogier, mas sobretudo, 3,9 sobre Teemu Suninen e 4,2 sobre Dani Sordo. O estónio alargou a liderança na especial seguinte, triunfando em Monti di Alá, dando 6,8 segundos a Teemu Suninen e 7,1 sobre Dani Sordo. E a mesma coisa aconteceu na segunda passagem por Monte Lerno, conseguindo uma vantagem de 5,1 sobre Suninen e Elfyn Evans.

Depois dos três primeiros, Evans era o quarto, noutro Ford, a um minuto e 18,4, mas tem Andreas Mikkelsen não muito longe, a 1 minuto, 33,3 segundos. Thierry Neuville é o sexto, a dois minutos, 32,4 segundos, com Esapekka Lappi no sétimo posto, a dois minutos e 58,3 segundos. Com mais um minuto de atraso está Kris Meeke, noutro Toyota, e a fechar o "top ten" estão os Skodas de Kalle Rovanpera e de Jan Kopecky.

O rali da Sardenha termina este domingo, com a realização das restantes quatro especiais. 

sábado, 15 de junho de 2019

As imagens do dia



Le Mans é definitivamente um dos melhores espectáculos do mundo. Se é o maior, não sabemos, mas é um dos maiores e melhores. É algo do qual nos faz entender a definição de "circo", com equilibristas e acrobatas, pois estes carros passam entre outros, bem mais lentos, de quatro classes. E sem bater? Em muitos aspectos, é um milagre.

Na altura em que escrevo estas linhas, já passaram seis horas, e os GT's estão colados uns aos outros. E é um espectáculo que ale a pena. 

WRC 2019 - Rali da Sardenha (Dia 1)

Dani Sordo lidera o primeiro dia do Rali da Sardenha. No final das primeiras nove especiais de classificação, o piloto espanhol da Hyundai tem uma vantagem de 10,8 segundos sobre Teemu Suninen, da Ford, e 11,2 sobre Ott Tanak, num dia marcado pelo abandono de Sebastien Ogier, vitima de um acidente que causou a quebra da sua suspensão dianteira. 

O Rali da Sardenha antevia-se com Sebastien Ogier e Ott Tanak separados por dois pontos no campeonato, e com o mundo dos ralis a saber que o piloto estónio tinha abrandado de propósito no "Power Stage" do Rali de Portugal para evitar ganhar pontos extra que o fariam ser líder à entrada deste rali. E porquê? Porque se fosse o comandante do campeonato, ele teria de abrir a estrada, algo do qual não queria por causa do piso abrasivo desta prova. 

Com o shakedown a dar vitória a Sebastien Ogier, o francês da Citroen sabia que não teria um dia fácil à entrada desta sexta-feira, palco das primeiras nove classificativas deste rali. E no inicio do dia, Suninen começou a marcar o passo neste rali, ao ser o melhor na primeira passagem por Tula, 4,8 segundos mais veloz que Elfyn Evans, seu companheiro de equipa, enquanto Ogier perdia 16,7 segundos e era o décimo melhor na especial.

A especial ficava marca pelo acidente de Fabio Andolin, que interrompeu o rali, mas depois de passarem todos os principais pilotos quer do WRC, quer do WRC2 Pro. 

Suninen continuou a acelerar, vencendo na primeira passagem por Castelsardo, com 1,7 segundos de vantagem sobre Jari-Matti Latvala e 4,4 sobre Dani Sordo e 6,3 sobre Ott Tanak. Isto deixava Suninen a 10,6 segundos sobre Latvala e 12 segundos sobre Elfyn Evans. Tanak reagiu na primeira passagem por Tergu - Osilo, enquanto Suninen perdia 15,1 segundos, acabando na décima posição da especial. O finlandês depois disse que tinha feito um pião, que o fez perder algum tempo. Quem ficou pior foi Gus Greensmith, que se despistou, e Esapekka Lappi, que tocou na berma depois de um despiste.

Com isto, Latvala era agora o líder do rali, com uma vantagem de 2,9 segundos sobre Suninen e Tanak estava a 4,2.

No final da manhã, em Monte Baranta, Lappi foi o melhor, 2,2 segundos na frente de Ott Tanak e 2,3 de Dani Sordo. Suninen perdeu mais 8,4 segundos a caia para quinto, justificando o seu andamento com um "estava a ser muito cauteloso, vamos para a área de serviço e puxaremos mais pela tarde". Quanto a Ogier, o francês bateu numa rocha na beira da estrada e danificou a suspensão, perdendo mais de sete minutos e ficando de fora da prova.

Dito e feito: Suninen foi o mais veloz na sexta especial, a segunda passagem por Tula, 3,4 segundos mais veloz que Dani Sordo e 4,1 sobre Tanak. E compensou, pois agora estava a 0,8 segundos do estónio... no terceiro posto, pois Sordo e Tanak estavam empatados na liderança!

A sétima especial já ia a meio quando foi cancelada devido a uma emergência médica envolvendo um espectador. Nessa altura, Neuville tinha conseguido tirar cinco segundos a Tanak, mas depois, esta foi anulada, com os tempos neutralizados.

Sordo voltou a vencer na oitava especial, com Haninen a ser segundo, a 1,5 segundos e Lappi a 4,1. Neuville perdeu ainda mais tempo, 28,7 segundos, porque já não tinha pneus para competir. Assim, era sétimo, a 49,7 segundos. O dia acabou com Andreas Mikkelsen a vencer, que o fez subir para quarto, mas Sordo foi terceiro, a 1,7 segundos, e consolidou a sua liderança.

Este sábado, o rali da Sardenha tem mais seis especiais de classificação.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

A(s) image(ns) do dia


Como seria de espera, os Toyota ficaram com a pole-position das 24 horas de Le Mans de 2019. Kamui Kobayashi, Mike Conway e José Maria Lopez partem na frente do outro carro da marca. Sem surpresas, digamos assim.

Ainda por cima, acontece depois de Conway ter sido vitima de um acidente na chicane Ford, com o Oreca de Rodolfo Gonzalez, que obrigou a Toyota a pedir novo chassis porque descobriram que o anterior tinha uma falha estrutural como consequência desse acidente.

No final, tudo lhes correu bem. O resultado era o esperado, mas esta é uma prova de Endurance, a mais mítica do mundo, e o que conta nunca é como começa, mas é como acaba. E a Toyota sabe perfeitamente disso, especialmente com o que aconteceu em 2016...

Formula E: Divulgado calendário provisório para 2019-20


A Formula E divulgou hoje o seu calendário provisório. Vai ter 14 corridas em doze provas, começa e acaba com jornadas duplas, e terá novidades, com a entrada de Seoul, na Coreia do Sul. 

Para além disso, a prova de Nova Iorque será reduzida a uma corrida, pois a jornada final será em Londres, numa prova que será feito num circuito parcialmente coberto. Confirma-se a prova de Hong Kong, enquanto a China está ainda por confirmar o local da prova. Das 14 corridas, três deles acontecerão na parte final de 2019. A prova por confirmar poderá ser Marrakesh, em Marrocos, que está em conversações com a organização.


Eis o calendário provisório:

22-23 novembro 2019 - Ad Diyriah (Arábia Saudita)
14 dezembro 2019 - TBC
18 janeiro 2020 - Santiago do Chile
15 fevereiro - Cidade do México (Hermanos Rodriguez)
1 março - Hong Kong
21 março - TBC (China)
4 abril - Roma (Itália)
18 de abril - Paris (França)
3 maio - Seoul (Coreia do Sul)
30 maio - Berlim (Alemanha)
20 junho - Nova Iorque (Estados Unidos)
25-26 julho - Londres (Reino Unido)

Youtube Rally Crash: O acidente de Ogier na Sardenha

Sebastien Ogier não está a ter um dia fácil na Sardenha. Na última especial da manhã, o piloto da Citroen bateu numa pedra e apesar de ter tentado reparar o carro, os danos na suspensão foram de tal modo grandes que irá provavelmente voltar no método "Rally2". 

Eis o video do seu acidente e posterior abandono.

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Formula E: Virgin manterá dupla para 2019-20

A Virgin irá manter o britânico Sam Bird e o holandês Robin Frijns para a próxima temporada da Formula E. O anuncio foi feito pelo seu diretor geral, Sylain Filipi, a pouco mais de uma semana do ePrix de Berna, a antepenúltima prova do campeonato.

"É ótimo não ter que se preocupar com drivers para a próxima temporada”, começou por dizer Filipi ao e-racing365.com. "Com Robin, temos um contrato de vários anos, então ele estará aqui na próxima temporada", acrescentou Filippi. Com o programa DTM deste ano não houve problema. As datas são boas, sem confrontos e o DTM não tem ABS, então na verdade não é diferente da Fórmula E nesse sentido. Estamos felizes, Robin está feliz, então mantemos a continuidade desta forma”, concluiu.

A Virgin conseguiu este ano dois triunfos, uma para cada piloto: Bird em Santiago do Chile, Frijns em Paris. A equipa é atualmente terceira classificada no Mundial de Construtores, com 137 pontos, enquanto Frijns é o melhor no de pilotos, sendo quinto, com 81 pontos.  

Youtube Rally Interview: Uma entrevista a Juha Kankkunen e Markku Alen


A Teknavi é um programa de automóveis finlandês e no final do mês passado fez uma entrevista a dois monstros sagrados dos ralis por lá: Juha Kankkunen e Markku Alen. Nesta entrevista, ambos falam sobre o seu tempo no WRC, por alturas do Grupo B, onde foram companheiros na Toyota e foram riais na Lancia e Peugeot. 

E na entrevista falam de coisas interessantes. Uma delas tem a ver com a provável causa do acidente mortal de Henri Toivonen, no Rali da Córsega de 1986, que levou ao fim do Grupo B, sobre o que aconteceu no Rali de Sanremo desse ano, onde os Peugeot foram excluídos pela organização e acabou com a FISA a excluir... o rali. E por dez dias, Alen foi campeão do mundo, antes do título cair nas mãos de Kankkunen.


A entrevista está em finlandês, mas tem legendas em inglês. Divirtam-se! 

Youtube Racing Crash: O embate da qualificação de Le Mans


A primeira noite de qualificação e Le Mans já ficou marcada pelo acidente entre o Oreca-Gibson numero 31 da Dragonspeed, guiada pela tripla Anthony Davidson, Rudolfo Gonzalez e Pastor Maldonado, e o Toyota numero 7 de Mike Conway, Kamui Kobayashi e José Maria Lopez. A colisão aconteceu na chicane Ford, imediatamente antes da reta da meta e o resultado foi o que vêm.

Ambos os pilotos estão bem, os carros é que devem neste momento a passar por loongas reparações para voltarem a correr amanhã...