quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Noticias: Perez quer lutar pelo quarto posto


Sergio Perez
quer manter o quarto lugar da classificação geral nas três corridas que faltam até ao fim do campeonato. Na semana do primeiro GP em terras barenitas, o piloto mexicano, segundo classificado no GP da Turquia, afirmou que pretende manter a regularidade e também manter os bons resultados que costuma ter na pista de Shakir.

Foi um momento muito especial na minha carreira [pódio no Bahrein] e é incrível pensar que aconteceu apenas na minha terceira corrida com a equipa. É incrível pensar que conquistamos mais cinco pódios juntos desde aquele dia. É sempre uma sensação ótima para revisitar o circuito e relembrar 2014.“, afirmou, recordando o terceiro lugar na corrida desse ano.

Quero lutar pelo quarto lugar no Campeonato de Pilotos e conseguimos assumir essa posição depois de um ótimo resultado na Turquia. Isso dá-me confiança para as últimas corridas. Queremos lutar por pódios e encerrar esta era em alta para a equipa e para mim.“, concluiu.

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Endurance: Vaillante quer voltar a Le Mans em 2023


A Vaillante, mitica marca de fição, criada por Jean Graton, irá regressar a Le Mans em 2023 a bordo de um Mirage. A noticia vem no site francês endurance-info, e poderá servir para um duplo centenário: o das 24 Horas de Le Mans e do criador de Michel Vaillant, Jean Graton

A ideia é o resultado de uma colaboração entre Frédéric de Brabant, chefe da estrutura Mirage Racing na FFSA GT, e Jean-Louis Dauger, responsável pelo desenvolvimento da marca Vaillant. Se há uma história a ser contada na pista, também há uma história a ser contada em um álbum, pois de Brabant, que dirige a produtora Prodster, esteve por trás das câmeras no documentário “Michel Vaillant, le rêve du Mans”, filmado durante as 24 Horas de Le Mans 2017.

“O objetivo é claro”, disse Frédéric de Brabant ao Endurance-Info. “Estar no início das 24 Horas de Le Mans com um Vaillante-Mirage em 2023. Paixão e sonho impulsionam-nos a lançar tal projeto. Queremos contar uma história ao longo de três anos. O nome Vaillante estará lá a partir de 2021? A decisão não foi tomada porque não queremos estragar o nome Vaillant. Colocar a Mirage Racing nas 24 Horas de Le Mans seria algo excepcional e quero muito experimentar isso. Já tenho uma história com Michel Vaillant e Le Mans depois do documentário feito em 2017.”, conpletou.

O nome Vaillant esteve por três vezes na pista de La Sarthe: com um chassis Courage em 1997, um Lola em 2002, para ajudar no filme homónimo, e em 2017 no Rebellion de LMP1. 

segunda-feira, 23 de novembro de 2020

Noticias: Mercedes de 2021 "com resultados excecionais no túnel de vento"


A Mercedes é a equipa a bater pelo resto do pelotão, dado o dominio que está a ter nos campeonatos desde 2014. Contudo, a Motorsport italiana conta que o novo chassis está a ter "resultados excecionais no túnel de vento". Caso assim seja verdade, as restantes equipas poderão estar em sarilhos bem grandes.

Com os monolugares de 2021 a ter menos dez por cento de força descendente, pelos vistos, a Mercedes poderá já ter compensado essa perda ganhando noutras zonas do carro.  Segundo refere a publicação italiana: “A Mercedes já testou os novos desenvolvimentos no túnel de vento e os resultados foram extraordinários”.

Resta saber se a concorrência terá conseguido melhor nos seus projetos, porque caso contrário, eles poderão ser inalcançaveis e um oitavo título de Lewis Hamilton poderá ser inevitável antes da mudança de regulamentos em 2022. 

Vende-se: Relógio usado em "Le Mans"


Os relógios são um bem comum, mas quando são feitos com luxo e requinte, tornam-se objetos de desejo. Especialmente, quando aparecem num filme de culto. Cinquenta anos depois de ter aparecido no pulso de Steve McQueen, o Heuer Monaco que foi isto no filme "Le Mans" irá a leilão no próximo dia 12 de dezembro, e poderá valer... meio milhão de dólares.

O relógio foi desenhado pessoalmente por Jack Heuer, descendente do fundador da marca, e foi escolhido pessoalmente pelo ator, podemdo ser isto quer nas cenas do filme, quer na publicidade estática. Contudo, não foi o único Heuer Monaco que foi usado: outro exemplar foi vendido em 2012 num leilão em Los Angeles por 650 mil dólares.

O exemplar em questão foi pferecido por McQueen ao mecânico Haig Altouin no último dia de filmagens, no final de 1970. Anos depois, no documentário "Steve McQueen: The Man & Le Mans", o mecânico recordou o que ele disse quando ofereceu o relógio: "Obrigado por me manter vivo durante todos estes dias." Ele queria recusar o presente, mas o relógio já dinha a decdicatória escrita na parte de trás.

“É um dos pouquíssimos relógios já oferecidos que tem uma ligação direta com a lenda de Hollywood, o rei do cool, Steve McQueen”, disse Paul Boutros, chefe de relógios da Phillips, Américas, a realizadora do leilão. “Destes relógios Heuer Monaco usados nas filmagens de Le Mans, este é o último a chegar ao mercado. É um dos únicos dois que foram mantidos por Steve McQueen e oferecidos a pessoas próximas a ele."

Este, vindo diretamente da pessoa para quem McQueen o presenteou, é o melhor que pode acontecer no que diz respeito à proveniência.”, concluiu.

domingo, 22 de novembro de 2020

A(s) image(ns) do dia




Barba e cabelo... e unhas. Foi uma corrida onde dominou de fio a pavio. Se há dúvidas sobre o que aconteceu, acho que muitas delas foram resolvidas hoje, com esta prova em casa. Miguel Oliveira tem estofo de campeão, isso é uma certeza, especialmente depois de um fim de semana domiadora em casa. E ele não é piloto oficial da KTM, ele está no equivalente à Toro Rosso.

O que Miguel Oliveira fez neste fim de semana no Autódromo do Algarve, na prova de encerramento do Muindial, confirma as esperanças de muita gente. É o concretizar de um sonho. Um português a vencer no Grande Prémio de Portugal de MotoGP, depois de ter conseguido a pole-position, e pelo caminho fez a volta mais rápida, é praticamente a realidade. E parece que não acreditamos nisso. 

A grande pena é ver o autódromo vazio. Mas ainda vivemos em pandemia, aliás, estamos em plena segunda vaga, que está a ser bem pior que a primeira. Se tivessemos público, teria sido fantástico. Mas este é um ano bem anormal...

O futuro vai ser bom. O mundo descobriu o Autódromo de Portimão, e viu que é um excelente circuito, desafiador, daquele que todos adoram, desde os pilotos aos fãs. É uma montanha russa, um claso contraste com as planuras dos tilkódromos. E termos tido este ano a Formula 1 e a MotoGP neste circuito - num caso de "portas que se fecham, janelas que se abrem" - mostrou que aqui há qualidade. E as trouxemos sem dinheiro, apenas porque estávamos mais disponíveis na altura.

Agora... do que se sabe é que iremos ter no calendário da MotoGP em 2021 por cinco anos, pelo menos. E se discute a data, do qual se fala em abril, que é "época baixa" no Algarve. Ou seja, poderá ser a prova de abertura do Mundial na Europa, depois de começar no Qatar e passar por Austin, no Circuito das Américas. Abril ainda é uma data arriscada porque poderiemos estar ainda a passar pela pandemia, apesar dos anuncios quase em catadupa de que as vacinas desenvolvidas andam a ter uma eficácia acima dos 90 por cento, venham de onde virerem.

Mas a Formula 1 também seria um "ouro sobre azul" numa altura em que a Liberty Media quer 24 corridas no campeonato, e algumas delas a rodar, ano sim, ano não. Sabendo agora que há pelo menos 30 locais para receber automobilismo ao mais alto nível, ou seja com a Classe 1 da FIA, nunca a chance de receber a categoria máxima do automobilismo no nosso país esteve tão perto. E ainda por cima, até se pode receber fora da "época alta" seria excepcional para todos na região. Só falta o dinheiro e a vontade politica, porque o resto... já temos!

Quanto ao Miguel, parabéns! E que este seja o principio de muito mais.  

Rumor do Dia: Lewis Hamilton coroado cavaleiro pela Raínha?


Apesar da fonte ser totalmente duvidosa - é o jornal The Sun - Lewis Hamilton poderá estar a caminho de uma condecoração com grau de Cavalheiro. O piloto, que no próximo dia 7 de janeiro fará 36 anos, poderá acabar por ser o quarto piloto campeão do mundo de Formula 1 a ser chamado de "Sir" e o primeiro ainda no ativo a levar esse título. Os outros três foram o australiano Jack Brabham, o escocês Jackie Stewart e Stirling Moss, que nunca ganhou qualquer título mundial, mas foi o piloto mais popular da sua geração.

Apesar de ele morar no Mónaco e ter uma fortuna pessoal no valor de 250 milhões de euros, do qual é fonte de criticas por viver num paraíso fiscal, ele refuta afirmando que tudo está conforme a lei. Numa entrevista em 2017, Hamilton disse isso mesmo:

O que as pessoas não percebem é que pago impostos aqui, mas não ganho todo o meu dinheiro [no Reino Unido]. Eu corro em 19 países, então ganho meu dinheiro em 20 lugares diferentes e pago impostos em vários lugares diferentes, e eu pago muito aqui também. Estou contribuindo para o país. Não só isso, eu ajudo a manter uma equipa com mais de mil pessoas empregadas.”, comentou na altura.

A honra poderá acontecer 12 anos depois do seu MBE (Member of the British Empire), concedida após o seu primeiro título mundial, e acontecerá numa altura em que, para além de ter igualado Michael Schumacher em termos de títulos mundiais, tambem detêm o recorde de vitórias, com 94 triunfos, alcançados na semana passada, na Turquia.

sábado, 21 de novembro de 2020

A(s) image(ns) do dia




O motociclismo português vive tempos gloriosos. Este final de semana ê o regresso da MotoGP a Portugal, depois de oito anos de ausência, e corre no Autódromo de Portimão, uma estreia no calendário do mundial de motociclismo. E este sábado, aconteceu algo fabuloso, que foi a pole-position de Miguel Oliveira na categoria-raínha, a primeira de sempre do piloto português. E claro, a primeira de um português em casa.

A parte estranha é que isto acontece em plena segunsa vaga da pandemia, onde por causa disso, o Autosromo de Portimão não tem quaisquer espectadores. Mas isso não impede de milhares terem aplaudido em casa, dando virtualmente os parabéns pelo feito, esperando não só que amanhã isso se traduza em vitória ou numa boa posição final, como também isto seja o principio de algoi melhor, que tenha material para ser campeão do mundo. Ele, que já venceu uma prova nesta temporada.

Ainda por cima... essa não é a mota principal da KTM!

Veremos como será amanhã. ele sabe que tem todo um país a torcer por ele.

Noticias: Zanardi transferido para outro hospital


Alex Zanardi
está a recuperar do seu acidente de junho, nos arredores de Siena, e esta semana se anunciou que o ex-piloto e ciclista paralimpico de 54 anos foi transferido para uma unidade hospitalar perto da sua casa, em Pádua.

De acordo com o Hospital de San Raffaele em Milão, Zanardi continua a recuperar depois de várias intervenções cirurgicas de modo a estabilizar a sua condição. “O paciente está fisicamente e neurologicamente estável, o que permite o transporte para outro hospital, mais perto de casa. Hospital este que está equipado com tudo o que é necessário para continuar a sua recuperação”.

Zanardi, que sofreu um grave acidete em 2001, onde perdeu ambas as pernas, tornou-se depois num dedicado paraciclista, onde conseguiu sete medalhas de ouro e uma de prata nos Jogos Paralimpicos de Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016.

sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Formula E: Sette Câmara será piloto da Dragon


O brasileiro Sergio Sette Câmara será piloto da Dragon na temporada 2021 da Formula E. Após as suas prestações nas seis corridas finais em Berlim, ele continuará por mais uma temporada na mesma equipa, enquanto faz a temporada da SuperFormula no Japão. 

"Muito feliz em anunciar que disputarei meu primeiro Mundial em 2021! Ansioso para evoluir o trabalho que começou bem este ano na Dragon/Penske Autosport", começou por dizer na sua conta no Twitter. “Meu objetivo é trazer o melhor resultado possível após cada corrida, ter uma curva de aprendizagem íngreme na série, e aproveitar meu tempo com a equipe Dragon/Penske Autosport! Meu objetivo é crescer com a equipa e continuar com o momento positivo que começamos juntos em Berlim, para competir consistentemente por pontos nesta temporada”, continuou. 

Apesar de não ter pontuado nas corridas alemãs, Jay Penske, proprietário e diretor da equipa, está bastante animado com o novo piloto: “Sérgio deu a todos uma previão do que está por vir nas suas seis primeiras corridas com a equipa em Berlim. Fiquei satisfeito com o ritmo dele e com sua rapidez de adaptação aos rigores das corridas elétricas", concluiu.

A nova temporada da Formula E começa em Santiago do Chile a 16 de janeiro de 2021. 

CPR: Algarve confirmado entre 17 e 19 de dezembro


O Rali Casinos do Algarve já tem a data de 17 a 19 de Dezembro confirmada no site da FPAK, e fica apenas dependente das autorizações das autoridades de saúde locais para a sua realização. Decisivo para a atribuição do título absoluto de ralis deste ano, ele deveria ter acontecido no fim de semana de 13 a 15 de novembro, mas a segunda vaga da pandemia do coronavirus em Portugal obrigou a ser adiado para o final do ano.

O Clube Automóvel do Algarve (CAA) irá propor um rali com reconhecimentos na quinta-feira, e as classificativas a acontecerem na tarde de sexta-feira e manhã de sábado. 

WRC: Ogier fica mais um ano na Toyota


Sebastien Ogier
adiou por mais um ano a sua reforma e decidiu correr a temporada de 2021 com a Toyota, ao lado de Elfyn Evans e Kalle Rovanpera, para tentar vencer um campeonato com a marca japonesa e ter um final mais digno, já que a temporada de 2020 ficou muito reduzida devido à pandemia do coronavirus.

Tivemos uma temporada mais curta, com menos rondas, mas foi o suficiente para perceber que gosto de trabalhar com a equipa e gosto de pilotar este carro. Não era o meu plano inicial, mas penso que foi um ano atípico para todos. Como a maioria das pessoas, passei mais tempo em casa e não fiz um temporada de despedida como queria. Essa foi uma das razões que me fez mudar de opinião sobre retirar-me. O plano é continuar em 2021 e vou tentar conquistar mais um título”, afirmou Ogier.

Vencedor de seis mundiais, entre 2013 e 2018, Ogier somente venceu uma prova, no México, e está em segundo no Mundial, com 97 pontos, menos 14 que o seu líder, Elfyn Evans. 

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Youtube Motoring Trailer: A mais recente aventura do The Grand Tour

Ah, os Três Estarolas estão de volta! Neste ano, foram dar umas voltas ao sul de África, nomeadamente o Madagascar, aparentemente à procura de um tesouro. James May vai andar de Caterham, Jeremy Clarkson escolheu um Bentley e Richard Hammond simpatizou-se por um Ford Fiesta ST. Ainda andarão pela ilha Reunião, que é uma possessão francesa no Índico, mas essencialmente, vão andar a caçar um tesouro.

Será que serão bem sucedidos? Teremos de esperar pelo dia 18 de dezembro para ver como correu, na Amazon Prime.

Youtube Motorsport Video: Josh Revell fala sobre Michele Mouton

Bom saber que as novas gerações estão a descobrir sobre algo que vi na minha infância, sobre Michele Mouton, a piloto francesa que domava os Audi Quattro de Grupo B entre 1981 e 1985, e que teve uma carreira muito boa no Mundial de Ralis, que foi vice-campeã do mundo em 1982, e triunfou em quatro provas, incluindo o Rali de Portugal de 1982. 

E hoje, o Josh Revell decidiu fazer um video a homenagear a ex-piloto francesa, que hoje em dia trabalha na FIA na parte dos ralis. 

IndyCar: Félix da Costa gostaria de fazer as 500 Milhas de Indianápolis


Depois de um teste no inicio do mês em Barber, a bordo do carro da Rahal Letterman, António Félix da Costa gostou do que experimentou e acha que a IndyCar poderá ser algo que possa fazer no futuro, especialmente as 500 Milhas de Indianápolis, desde que a equipa tenha o "budget" necessário para o fazer, a partir de... 2021. 

Ficou o interesse dos dois lados e há um acordo verbal em que a equipa tem prioridade se surgir interesse", começou por dizer o piloto de Cascais numa entrevista à Autosport portuguesa. "Não há nada concreto, mas há uma base boa e creio que se arranjarem o budget para um terceiro carro em algumas, corridas como fizeram este ano, acho que pode acontecer, sempre com a autorização da DS, com quem estou comprometido e onde estou focado a cem por cento. Se me convidarem para fazer a Indy 500… vou.", continuou.

O piloto afirmou que o "brickyard" impõe respeito e está consciente dos perigos de rolas naquela veloz pista. E também é por isso que hesita em ir para o campeonato devido às ovais que tem presentes, como o Texas, por exemplo. 

"Sou sincero já tive menos receio das ovais. Antigamente não tinha qualquer problema, hoje em dia já penso um bocadinho mais, mas [as 500 milhas] é algo bom demais para se recusar e tem de ser feito.”, concluiu.

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Youtube Motorsport Video: A passagem de Miguel Oliveira pela ponte 25 de abril

Na semana em que a MotoGP irá a Portimão para encerrar a temporada, Miguel Oliveira foi dar umas voltas na Ponte 25 de abril a bordo da sua KTM de competição.