quinta-feira, 21 de Agosto de 2014

Os novos regulamentos do WRC para 2015

Nas vésperas de começar o Rali da Alemanha, a FIA anunciou que iria haver modificações nos motores e nos carros do WRC para a próxima temporada. Após a existência de um congelamento no desenvolvimento dos motores esta temporada, em 2015, as construtoras poderão ter um desenvolvimento de até cem cavalos, mas as grandes novidades estão no campo das caixas de velocidades, que deixarão de ser de caixa para estarem no volante, semelhante aos carros de pista, sendo assim mais leves e mais eficazes para os pilotos.

François-Xavier Demaison, o diretor técnico da Volkswagen explica essa mudança nos carros: “As caixas com patilhas reduzem o 'input' do piloto, ou seja, são sistemas automatizados. Durante a extensão de um rali, o piloto fica cansado e é normal que faça algumas passagens de caixa mais lentas, menos eficazes, e aí há hipótese de danificar a caixa. Com o sistema de patilhas, a passagem de caixa é sempre perfeita e as forças que intervêm no processo são sempre iguais. Basicamente, elimina-se os erros de pilotagem (a este nível). O segredo, contudo, é o tipo de sistema que se pode usar, que pode ser pneumático, hidráulico ou mecânico. Só não posso dizer o que vamos usar!”, referiu o engenheiro francês. 

Outra possibilidade que se abre às equipas é a redução do peso dos motores: “Houve uma revisão do peso mínimo de alguns componentes do motor e a hipótese de retirar algumas partes. O motor terá o mesmo bloco mas será mais leve. Claro que é difícil alterar um carro ganhador. A versão-base de 2015 está agora em testes mas terão de esperar seis meses até ao Rali de Monte Carlo para verem o 'novo' Polo”, concluiu.

É certo que em 2015 iremos assistir à nova geração de motores 1.6, e estes estarão a correr até à temporada de 2016, altura em que irá dar lugar ao novo formato para o periodo entre 2017 e 2019, mas do qual ainda nada está decidido, dado que existem conversações entre as equipas e a FIA. E provavelmente, poderá entrar em ação a ideia dos propulsores híbridos, que poderá trazer de volta as marcas japonesas como a Toyota, a Mitsubishi e a Subaru, que já demonstraram interesse num regresso.  

quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

As razões para a escolha de André Lotterer

Pode-se pensar que a chamada de Andre Lotterer para o carro da Caterham seja por razões meramente orçamentais, mas não têm nada a ver com isso. Na realidade, trata-se de uma corrida contra o tempo, no sentido de ter o maior número de alterações no chassis CT05 com um objetivo em mente: pontuar e conseguir o décimo lugar no campeonato de Construtores, o que daria acesso a uma bela "bolsa" de 50 milhões de euros vinda de Bernie Ecclestone e a FOM.

Segundo conta o jornalista Joe Saward, Lotterer é um excelente piloto de testes. Sabemos que teve esse trabalho em 2002, na Jaguar, e que continuou a ter isso quer no Japão, quer agora na Audi, onde como sabem, conseguiu três vitórias nas 24 Horas de Le Mans. E durante esse tempo todo, ajudou a desenvolver o R18 para se manter onde está, apesar dos ataques do Toyota TS040 e agora, do Porsche 919 Hybrid. E ele também conta que Lotterer foi uma segunda escolha: inicialmente, eles queriam o britânico James Rossiter, que em 2013 ajudou a testar na Force India, mas este estava demasiado envolvido em compromissos no Japão (ele corre na Super Formula e nos GT's japoneses) para poder correr em Spa neste fim de semana.

E há uma coisa interessante relativamente a Lotterer: ele é muito bom em pisos húmidos e molhados, o que poderá ser uma mais-valia. E com a fama da pista belga, isso poderá ser favorável para Lotterer, que compensará certamente os anos em que esteve afastado de um chassis de Formula 1.

Daí que tenham pedido a Kobayashi para que ficasse apeado por esta corrida: é que ele não têm fama de bom afinador de carros, apesar de ser veloz. E Marcus Ericsson, para além de ser o "rookie", é ele que também está a trazer o dinheiro que permite manter a Caterham a andar este ano. E eles precisam desse dinheiro para fazer as modificações necessárias. E numa altura em que se tenta de tudo para alcançar os objetivos, isso conta. E fala-se que todos os carros equipados com motor Renault (Red Bull, Lotus, Toro Rosso) irão trazer novidades para a pista belga.

Veremos se dará resultado.

Youtube Motorsport Video: Spa-Francochamps... em Scaletrix

Em fim de semana de regresso da Formula 1, descobri no WTF1.co.uk este fantástico video de uma pessoa que construiu uma réplica da Spa-Francochamps... em Scaletrix. E está genial, com todos os detalhes que é preciso saber.

Noticias: Caterham confirma Lotterer em Spa

A Caterham confirmou esta tarde que o alemão Andrea Lotterer será piloto da Caterham no GP da Bélgica, em substituição de Kamui Kobayashi. O piloto de 32 anos, atualmente piloto da equipa oficial da Audi na Endurance, terá a sua oportunidade na Formula 1, doze anos depois de ter sido piloto de testes da Jaguar. 

Falando no site oficial da marca, Lotterer agradeceu pela oportunidade concedida: “Estou muito contente com esta oportunidade e quero agradecer à Caterham por isso. Estou pronto para o desafio e mal posso esperar que se iniciem os treinos livres. Vou precisar de me adaptar ao carro rapidamente, já que a equipa vai ter muitos upgrades e precisamos do máximo de tempo de pista possível para otimizar a performance do carro. Para além disso, Spa-Francorchamps é uma das minhas pistas favoritas, muito próxima do local onde cresci, e também devido a esse facto este fim de semana será ainda mais especial e memorável”, concluiu.

Nascido a 19 de novembro de 1981 na localidade alemã de Duisburgo, Lotterer têm uma carreira multifacetada. Para além da Endurance, onde foi tricampeão em Le Mans (2011, 2012 e 2014), ele também correu na Formula Nippon, agora a Super Formula, onde se tornou campeão em 2011 e este ano, é segundo classificado na competição. Pelo meio, teve passagens pela CART americana e pela A1GP, na equipa da Alemanha.

terça-feira, 19 de Agosto de 2014

Um dia para lembrarmos as pessoas que tiraram estas fotos







Hoje é o dia internacional da fotografia. E normalmente, não quero saber nada disto, à excepção que hoje faz precisamente 175 anos desde que Louis Dauguerre mostrou o processo de conservação de um retrato numa placa de vidro, dando inicio a o que chamamos de fotografia. E lembro de uma frase dos meus tempos de Universidade, em que dizia mais ou menos o seguinte: "A fotografia libertou a pintura da sua função de retrato".

E isso é verdade, quando vemos que após 1839, a pintura passou por todos os processos criativos que conhecemos: o impressionismo, o cubismo, o futurismo, o dadaísmo, o surrealismo, a "pop-art", entre muitos outros.

Mas mesmo assim, a fotografia passou há muito da sua função retratista. Foi para além dela. Captou realidades e também fez com que pudesse ser criativa, mesmo que seja pela função que é conhecida: tirara retratos, para mais tarde recordar. 

E num sitio como estes, nada como homenagear todos aqueles que ao longo do século XX tiraram fotos sobre o automobilismo e que nos captaram, pela sua beleza e sua espectacularidade. 

Os testes de hoje da Formula E em Donington Park




Esta terça-feira, em Donington Park, recomeçaram os ensaios da Formula E, com algumas novidades. Heinz-Harald Frentzen testou um dos carros da competição, enquanto que foram apresentados os Safety Cars, que são dois modelos da BMW elétricos: o i8 e o i3. Pelos vistos, os testes estão a atrair cada vez mais gente, pelas filas que se viram por lá e pela quantidade de gente que circulou no "paddock".

Veremos como vai ser a partir de 13 de setembro, em terras chinesas.

Vi estas fotos no Facebook do João Carlos Costa, jornalista do Eurosport.

Formula 1 em Cartoons - o novo Verstappen (Pilotoons)

Logo no dia em que foi anunciado que a Toro Rosso iria colocar o filho de Jos Verstappen num dos seus carros, na temporada de 2015, o Bruno Mantovani decidiu logo fazer um desenho do piloto de (ainda) 16 anos no carro em que vai tripular. 

E claro, até chegarmos à expressão de "baby Verstappen" foi um pulo...

Dailymotion Automotive Series: Os carros do povo (II)



Hoje coloco aqui o segundo episódio da série que o James May anda a fazer sobre os carros do povo. E ele vai a alguns lados: França e Japão, passando pela Alemanha. E há várias referências aos "kei cars" japoneses, um teste com um 2CV e um Renault 4, referências ao Ford Transit e um teste com... o ex-piloto Toshio Suzuki. E não, não vai guiar um Suzuki. Mas o desafio é interessante.

Ah! E o Jeremy Clarkson faz uma "participação especial". Vocês vão ver como.

Os Pioneiros - Capitulo 45, Targa Florio e o Grande Prémio de 1913

(continuação do capitulo anterior)


AS CORRIDAS EUROPEIAS DE 1913


Enquanto que a Peugeot se preparava para ir a Indianápolis para tentar a sua sorte, na Europa, as corridas voltavam a ser o que era, com as marcas a reentrarem no automobilismo de competição. E prova disso era a lista de inscritos para a Targa Flório, que ocorreu entre 11 e 12 de maio, num circuito de 1050 quilómetros em volta à Sicilia, começando e acabando em Madoine: seis Fiat, o mais relevante aquele que era guiado por Giuseppe Giordano. Havia três Aquila Italiana, guiados por Norman Olsen, Giovani Marsaglia e Beria D'Argentina; dois SCAT, guiados por Ernesto Ceirano e Cyril Snipe; dois Isotta Fraschini, o Storero de Ferdinando Minoia; dois Lancias, um deles o de Pietro Bordino, o carro de Felice Nazzaro, o Minarva de Giovani Stabile, entre outros.

A corrida foi dura, como seria de esperar, mas a arte de Nazzaro, com o seu próprio carro, levou a melhor sobre o Aquila de Giovanni Marsaglia, com uma vantagem superior a hora e meia. Alberto Mariani, no seu De Vecchi, apareceu uma hora mais tarde do que Marsaglia, numa corrida onde acabaram doze dos 33 carros inscritos.

Com o Peugeot vitorioso de Goux de volta de Indianápolis, a equipa começou a preparar-se para a corrida mais importante do ano, que era o Grande Prémio de França. Marcada para o dia 12 de julho, a corrida iria ser disputada na cidade de Amiens, num circuito de 31,62 quilómetros, e do qual iriam ser cumpridas 29 voltas. O ACF decidiu fazer um novo regulamento baseado na formula de consumo, que teria de ser de 20 litros aos cem quilómetros, com um peso mínimo de 800 quilos. Logo, a Peugeot apareceu com um motor de 5,6 litros para os carros de Jules Goux, Georges Boillot e Paolo Zucarelli. 

Contra eles, tinham os Delage de Albert Guyot e Paul Bablot, os Sunbeam de Gustave Callois, Jean Chassagne e dos britânicos Kenelm Lee Guiness e Dario Resta. Do lado italiano, havia os Itala guiados por Felice Nazzaro e Albeto Moriondo.

Contudo, a poucas semanas da corrida, a 19 de junho, a tragédia bate à porta da Peugeot. Quando treinava para o Grande Prémio, Zucarelli estava a acelerar ao máximo quando uma carroça atravessou-se à sua frente. o embate foi inevitável e ele teve morte imediata. Tinha 26 anos. Enlutados, a Peugeot continuou a preparar-se para o Grande Prémio.

A corrida não ocorreu sem incidentes. Logo na primeira volta, o Itala de Moriondo capotou o seu carro, mas quer ele, quer o seu mecânico Giulio Foresti sairam ilesos. Juntos, viraram o carro, trocaram a roda quebrada, apertaram a coluna de direção e regressaram à corrida. Na frente, Boillot tinha atrás de si Goux e o Sunbeam de Chassagne. Mas logo a seguir, Boillot começou a apresentar problemas de ignição, abrandando e com a concorrência a aproximar-se. Quem aproveitou essa situação foi Albert Guyot, que passou para a liderança com o seu Delage.

Contudo, Boillot chegou às boxes e reparou o seu problema, voltando para a pista disposto a recuperar o comando da corrida. Graças a uma condução nos limites, Boillot voltou ao primeiro lugar, mas os problemas de ignição voltaram a afligir o piloto francês e volta a perder o comando para Guyot. Quando volta às boxes, descobre que o problema é um pouco mais grave: um tubo do radiador tinha ficado furado. Feita a troca, Boillot voltou ao ataque, disposto a apanhar Guyot.

Parecia que o piloto do Delage estava fora do seu alcance, mas na nova volta, um pneu do carro rebentou. Guyot desacelerou e o seu mecânico saltou fora do carro antes de este ter parado o seu carro por completo. As coisas correram mal e este foi atropelado, ficando debaixo do carro com as pernas partidas. Guyot tirou o piloto com cuidado e levou-o às boxes, para que fosse prestada assistência médica. Com isto, o grande beneficiado tinha sido Boillot, que sem mais problemas, levou o carro até à vitória final, com um avanço de dois minutos e 25 segundos sobre o seu companheiro de equipa, Jules Goux.

Boillot tinha assim conseguido algo inédito até então: repetir uma vitória no Grande Prémio de França e fê-lo de maneira consecutiva, e mais uma vez, o público coroou-o como o novo herói nacional, transportando-o em ombros.

No final do ano, mais uma vitória da Peugeot na Taça das Pequenas Viaturas, e de novo com Boillot, fazendo dobradinha com Goux. Era o grande ano da Peugeot e os seus feitos orgulhavam a França. Estavam no topo do mundo e para eles, eram imbatíveis, ninguém os conseguiria parar.

(continua no próximo episódio)

segunda-feira, 18 de Agosto de 2014

Noticias: Toro Rosso anuncia Max Verstappen como piloto

Contratado há menos de duas semanas pela Red Bull Junior Team para ser um dos seus pilotos, a Toro Rosso surpreendeu tudo e todos esta noite ao anunciar que Max Verstappen, de 16 anos, e que fez ainda 32 corridas em monolugares, será piloto titular na temporada de 2015, batendo um recorde de precocidade, dado que até hoje, nenhum piloto de 17 anos andou a bordo de um Formula 1 em corridas oficiais. O filho de Jos Verstappen irá bater um recorde com três anos, obtido por outro piloto da Toro Rosso, o espanhol Jaime Alguersuari, no GP da Hungria de 2011, quando correu com 19 anos e 125 dias.

"Estamos felizes por receber Max na família Toro Rosso", começou por fizer Franz Tost no comunicado oficial da marca. "É muito bom ver como o programa Red Bull Júnior continua a encontrar jovens pilotos talentosos e lhes dá a oportunidade de entrar em Fórmula 1. Consideramos Max para ser como um dos jovens pilotos mais habilidosos da nova geração e nós acreditamos que ele tem a maturidade necessária e força mental para assumir este desafio com sucesso", continuou. 

"Este ano, ele já demonstrou o quão bem ele pode enfrentar em condições difíceis. Por exemplo, no Norisring e Nürburgring, ele mostrou extraordinária determinação e capacidade de suportar a pressão antes de vencer. Tendo em conta que a Scuderia Toro Rosso foi criado com o objetivo de trazer jovens talentos da Red Bull Junior Team na Fórmula 1 e de os educar, agora, a nossa tarefa será o de fornecer a Max um carro competitivo, que lhe permitirá ter o melhor começo possível na Fórmula 1."

Tost decidiu também agradecer a Jean-Eric Vergne pelo trabalho que fez nas últimas três temporadas na Formula 1: "Eu também gostaria de agradecer a Jean-Eric Vergne para todo seu trabalho duro. Ele produziu performances fortes, mas, infelizmente, ele também foi prejudicado por alguns problemas de fiabilidade, especialmente na primeira metade da temporada atual. Esperamos que resolvemos estes problemas e que ele será capaz de acabar com a segunda metade da temporada em alta e assim, mostrar que ainda merece outra oportunidade na Fórmula 1", concluiu.

Já o holandês não cabia de si de contente e agradeceu à Toro Rosso pela oportunidade que concedeu para correr na categoria máxima do automobilismo, poucas semanas depois de ter entrado no programa de apoio aos jovens pilotos: 

"Primeiro de tudo, gostaria de agradecer ao Dr. Helmut Marko e Red Bull por toda a confiança e de me ter dado a chance de fazer a minha estreia Formula em 2015 com a Scuderia Toro Rosso. Desde os meus sete anos que a Fórmula 1 tem sido o meu objetivo de carreira, então esta oportunidade é verdadeiramente um sonho tornado realidade", começa por dizer Verstappen Jr. no seu comunicado oficial.

"Existem várias pessoas que me ajudaram ao longo dos anos e ainda me apoiar até hoje e eu quero agradecê-los. Antes de tudo, um grande agradecimento a meu pai Jos, que esteve sempre ao meu lado, dia e noite, ano após ano. É claro que estou muito grato por todos os meus patrocinadores que já acreditaram no meu talento e me apoiaram nestes tempos financeiramente difíceis. Espero que eu possa manter uma colaboração maravilhosa com eles quando vou embarcar nesta nova fase da minha carreira. Também quero agradecer ao meu empresário Raymond Vermeulen, por todos os seus esforços no sentido de tornar este acordo possível. Finalmente, graças a todas as equipas nas diversas categorias de karting e monolugares, pela sua ajuda e apoio vital. Sem eles, eu não estaria onde estou hoje."

"Todos nós trabalhamos no duro para chegar a Fórmula 1 e vou dar o meu melhor para ser bem sucedido na categoria máxima do automobilismo. Com o regresso do nome Verstappen à Fórmula 1, espero que nós possamos revivar memórias antigas e espero ver muitos dos velhos fãs em todos os circuitos de Grande Prémio.", concluiu.

Nascido a 30 de setembro de 1997, na localidade belga de Hasslet, é filho de Jos Verstappen e de Sophie Kumpen, que correu em karts. O seu avô materno, Paul Kumpen, correu na Endurance, enquanto que o seu tio, Anthony Kumpen, também corre nessa categoria. Correndo no karting desde os sete anos de idade, venceu a WSK Karting Series em 2010 e a World KZ Championship em 2013, passando este ano para os monolugares, ao serviço da equipa Van Amersfoort, da Formula 3. E a sua adaptação não só foi fácil, como foi impressionante: oito vitórias até agora, duas delas nas jornadas triplas de Spa-Francochamps e Norisring, e o segundo lugar do campeonato, com 325 pontos, quando faltam ainda duas rondas para o final do campeonato.

Rumor do dia: Kobayashi substituido por Lotterer na Caterham?

A nova administração da Caterham pode ter aproveitado as férias para fazer alterações no carro, mas também poderá aproveitar esta altura para fazer alterações nos pilotos. Esta tarde, a Motorsport alemã e a Autosport britânica afirmaram que o piloto alemão André Lotterer poderá conduzir o carro da marca já no GP da Bélgica, em substituição de Kamui Kobayashi.

Desde que a nova administração entrou em ação, em meados de julho, esta, liderada por Christijan Albers, mas aconselhada por Colin Kolles, já despediu 40 funcionários da equipa (e estes, em retaliação, processaram a companhia) e já se falava desde há algum tempo que poderia haver uma mudança no alinhamento das equipas. E como Marcus Ericsson trouxe muito dinheiro para pagar o orçamento, Kobayashi acaba por ser "o elo mais fraco", arriscando a ser dispensado à primeira oportunidade. E parece que este vai ser o caso.

O alemão André Lotterer têm 32 anos (nasceu a 19 de novembro de 1981 em Duisburgo) e têm carreira em várias competições. Depois de uma passagem pela Formula 3 britânica e alemã, foi piloto de testes da Jaguar, antes de ser dispensado no final de 2002, quando a equipa escolheu Mark Webber para seu piloto oficial. A seguir, foi para o Japão, onde correu na Formula Nippon, agora a Super Formula, onde se tornou campeão em 2011. Pelo meio, teve passagens pela CART americana, pela A1GP, mas sobretudo, pela Endurance, onde é piloto oficial da Audi, e venceu as 24 Horas de Le Mans de 2011, 2012 e 2014.

Youtube Rally Testing: Os testes de Robert Kubica na Alemanha


Como toda a gente, Robert Kubica também andou a testar o seu Ford Fiesta WRC em estradas alemãs, preparando-se para o rali, que vai acontecer no próximo fim de semana. Como se pode ver neste video, o piloto polaco de 29 anos esteve sempre ao máximo em asfalto. 

Ou como diriam alguns maldosos, a dar o seu melhor para cair na valeta em estilo...

domingo, 17 de Agosto de 2014

Dailymotion Automotive Series: James May e os carros do povo



Com a nova temporada do "Top Gear" ainda distante (e começo a ter algumas dúvidas, com as mais recentes polémicas envolvendo Jeremy Clarkson) outro dos integrantes desse programa, James May, decidiu fazer uma mini-série de três episódios sobre "os carros do povo", uma espécie de "spin off" do programa. 

Hoje deverá estar no ar o segundo episódio, mas neste primeiro episódio, emitido na semana passada, veremos dois bons exemplos de carros marcantes: o Carocha (Fusca para os brazucas) e um carro improvável para ser o "carro do povo", o Fiat 124, que depois deu no Lada soviético.

O final não é recomendável para o Flávio Gomes... 

Youtube Rally Testing: Os testes para o Rali da Alemanha

Semana que vêm acontecerá o Rali da Alemanha, o primeiro rali a acontecer em asfalto, depois de Monte Carlo. E enquanto que a Formula 1 está de férias, com toda a gente a aproveitar os raios de sol na praia, nos ralis, todos andaram a reconhecer as classificativas onde em breve, todos os pilotos andarão por lá, dando o seu melhor e alcançar a melhor classificação possivel.

Eis um resumo desses testes, que vi na Autosport portuguesa.

Youtube Motorsport Ad: Drag Racing em Slow Motion

Por norma, não ligo muito ao "drag racing", porque basicamente é um desporto americano do qual tudo se resolve em dez segundos ou menos, mas há certas coisas da competição que valem a pena ver. E este video da NHRA (National Hot Rod Association) com as câmaras em "super slow-motion" têm o seu quê de interessante.

Vi esta na brasileira Flatout.