terça-feira, 29 de setembro de 2015

O regresso da Formula 1 a sinal aberto

Inesperadamente, a Eurosport Portugal anunciou esta terça-feira que a Formula 1 regressará ao seu canal em 2016, após quase dez anos de ausência em sinal aberto. A emissora a cabo ficou com os direitos de transmissão por três temporadas, até ao final de 2018, e ficará com os direitos de transmissão não só das corridas como também dos treinos e das sessões de qualificação.

Peter Hutton, o CEO da Eurosport, comentou assim esta novidade: “A Formula 1 é uma das principais marcas desportivas e o maior evento no calendário de desportos motorizados. Garantir esses direitos para Portugal é uma demonstração adicional da nossa estratégia de adquirir ativos-chave a nível local e pan-regional, a par do nosso compromisso de ter os maiores eventos e capturar os melhores momentos desportivos no Eurosport. O que se tem provado já um sucesso, como é evidenciado pelo forte crescimento das audiências por toda a Europa”.

Existem poucos desportos com uma tão grande história em termos de narrativa e produção televisiva de classe mundial como a Formula 1 e estamos ansiosos por desenvolver essa herança para oferecer aos fãs em Portugal uma experiência de visionamento de grande qualidade. Esta novidade é apenas uma parte de um ano notável para o Eurosport, no qual o investimento em produção ajudou a atingir impressionantes audiências record para eventos emblemáticos em 2015 como o Open de França, o US Open, o Tour de France ou as 24 Horas de Le Mans”, acrescentou.

A aquisição dos direitos da Formula 1 vai acrescentar mais riqueza a um portfólio ainda mais rico em termos automobilísticos, já que tem os direitos de transmissão para o Mundial de carros de turismo, o WTCC, e as 24 Horas de Le Mans, que segundo contam, atraiu em 2015 16,2 milhões de espectadores um pouco por toda a Europa.

Este anuncio de um regresso da Formula 1 a sinal aberto pode ser explicado como uma flexibilidade em relação aos preços dos contratos. Desde que os direitos foram comprados por operadores de sinal fechado como a Sky Sports, na Grã-Bretanha, a audiência geral diminuiu em quase metade, pois as pessoas não estão dispostas a pagar mais dinheiro para assistir às corridas, e daí muitos preferirem ver as emissões "piratas" na Net, por exemplo. De uma certa maneira, parece pu haver mais dinheiro por parte da Eurosport, ou então há mais bom senso no sentido dos contratos, embora uma explicação plausivel seja a duração deste contrato, cerca de metade da duração habitual...

Mas em suma, é o regresso da Formula 1 a sinal aberto, embora seja a cabo. Algo que não acontecia desde 2006...

1 comentário:

Bruno Patuleia disse...

Eurosport/Cabo não é sinal aberto