sábado, 20 de junho de 2015

Formula 1 2015 - Ronda 8, Austria (Qualificação)

Na Austria, como cantava a Julie Andrews, as montanhas estão vivas com o som da musica. Em Zeltweg, as musicas são os ruídos dos motores V6 Turbo - por muito que os mais puristas odeiem - e a Red Bull ofereceu este palco á Formula 1, no sentido de - inicialmente - ser o palco da sua dominação, nos tempos de Sebastian Vettel e Mark Webber. Mas nos tempos que correm, que domina são os Mercedes de Lewis Hamilton e Nico Rosberg. E aqui, claro, não foi excepção: Lewis Hamilton foi o melhor, com mais 200 centésimos de segundo sobre Nico Rosberg... apesar das saídas de pista de ambos na Q3.

E com este resultado, perguntar-me-ia isto: Hamilton irá fazer todas as poles até ao final do ano? Espero que não, a bem do espectáculo.

Mas não nos precipitemos. Vamos começar pelo fim, por causa das desgraças de uma equipa uma vez gloriosa. Com a noticia de que Jenson Button e Fernando Alonso foram penalizados, devido à troca de motor, turbo e unidade MGU, eles ficaram sujeitos a uma penalização inédita: 25 lugares. Numa grelha de vinte carros, isso poderia significar que os dois pilotos iriam largar de... Salzburgo, Innsbruck, Viena ou Ljubliana, dependendo do sentido da bussola ou algo assim. Ficamos com a sensação de que a McLaren vive os seus dias de "fundo do poço", sem grande perspectiva de saída nos próximos tempos. Podem melhorar as suas performances, mas por hoje, a última fila é deles.

Contudo, a Q1 não foi só dos McLaren. Numa pista à partida molhada, mas a secar durante o inicio da qualificação, os pilotos tiverem de achar o melhor momento de trocar de intermédios para os slicks. Os Toro Rosso apostaram e foram bem sucedidos, ficando com os primeiros tempos, mas o resto seguiu a mesma tática. Quem não fez foi Kimi Raikkonen, e ficou de fora, com o 18º tempo. No rádio, desabafou: "Como é que essa m**** foi possivel?" Quem também ficou pelo caminho foi Sergio Perez, mas ele subirá um lugar por causa de Fernando Alonso.

No Q2, a pista já estava seca o suficiente para que pudessem andar sem problemas com os supermacios. Inicialmente, pilotos como Nico Hulkenberg começaram a dar nas vistas, mas a normalidade assentou-se e os pilotos da Mercedes ficaram com as primeiras posições. com Nico Rosberg a fazer um tempo abaixo de um minuto e dez segundos. No final, entre os que ficaram de fora, a grande surpresa tinha sido o Red Bull de Daniel Ricciardo, que ficara apenas com o 13ª tempo, acompanhando Pastor Maldonado, Marcus Ericsson, Carlos Sainz Jr, e Fernando Alonso. Em contraste, Felipe Nasr, Nico Hulkenberg, Romain Grosjean, Daniil Kvyat, Max Verstappen acompanhavam os Mercedes, os Williams, os Mercedes e o Ferrari de Sebastian Vettel.

A Q3 foi mais emocionante, e foi decidida graças aos erros dos pilotos da Mercedes. Apesar da Ferrari ter decidido esperar para a segunda parte para marcar um tempo, isso de pouco serviu. Nico Rosberg ficou provisóriamente com a pole, mas Hamilton fez um tempo duzentos centésimos mais veloz do que o seu companheiro de equipa. Mas as últimas tentativas foram dramáticas: Hamilton perdeu o controle do seu carro na primeira curva e perdeu a chance de melhorar, e Rosberg perdeu a sua chance de ficar com a pole quando perdeu o controlo do seu carro na última curva, acabando na gravilha.

Com isso tudo, Lewis Hamilton ficou com a sua 45ª pole-position da sua carreira, igualando Sebastian Vettel no mesmo numero de largadas do primeiro posto, e ficando apenas atrás de Ayrton Senna e Michael Schumacher. Rosberg ficou no segundo lugar, na frente do Ferrari de Sebastian Vettel, enquanto que Felipe Massa quase surpreendia o pelotão com o seu quarto posto. 

Depois, o quinto lugar de Nico Hulkenberg, a demonstrar que ainda está no estado de graça após a sua vitória em Le Mans, na frente de Valtteri Bottas e do Toro Rosso de Max Verstappen, na frente do Red Bull de Daniil Kvyat, e a fechar o "top ten", o Sauber de Felipe Nasr, e claro, o Lotus de Romain Grosjean.

Amanhã, a Formula 1 efetua mais uma corrida na Austria. Poderia dizer que provavelmente já conhecemos o desfecho, mas com a possibilidade de haver chuva para amanhã por aquelas bandas, queremos ficar sempre à frente da televisão, pois ainda não adivinhamos quando é que os Mercedes irão falhar.

1 comentário:

António Conde disse...

Estou honestamente farto da falhas consecutivas do Kimi. Já chega!