sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Falem mal da Jordá, que a Lotus agradece

Falem mal dela, mas falem. Ao contratar a catalã Carmen Jordá como "piloto de desenvolvimento da Lotus", eles conseguiram o que queriam: "buzz", ou seja, que falassem da equipa e dela. Mal, mas que falassem.

Eis algumas das reações que podiam ser vistas hoje no Twitter. Rob Cregan, o irlandês que correu com Jordá em 2012 pela Ocean, afirmou: "Carmen Jorda não conseguiria desenvolver um rolo de filme, quanto menos um carro híbrido de F1."

"F1 é sobre talento não dinheiro e gabar-se de posições falsas," acrescentou.

Mitch Evans, o neozelandês que foi campeão da categoria em 2012, falou que "Ainda não é o 1º de abril". Acho que deveria saber que em Espanha, o dia das mentiras é a 28 de dezembro...

Sobre este assunto, já disse ontem que tinha a dizer. E a unica coisa que tenho de acrescentar é que isto, mais do que impulsionar as mulheres a aparecerem mais no automobilismo, até vai estragar as coisas. Toda a gente repara que isto não é sério, apenas é mais um chamativo para atrair dinheiro para uma equipa que não nada muito bem nessa matéria, e tem de pagar as contas por ter motores Mercedes e dois pilotos como Pastor Maldonado e Romain Grosejean, que têm fama de destruidores. 

Jordá já chamou a atenção pela sua beleza, e provavelmente poderá ser o simbolo desta Formula 1 atual, onde as coisas parece que perderam um pouco o controle. Financeiro, é preciso ser dito. E onde os talentosos sem dinheiro não tem lugar, mas os que têm os bolsos cheios dele são sempre bem vindos. Se a FIA não tivesse mudado os critérios para ter a Super-Licença, creio que já não faltaria muito para vermos o primeiro piloto barenita ou qatari na categoria máxima do automobilismo.

2 comentários:

Ron Groo disse...

a mulher é bonita, é gostosa... nego ainda quer que pilote?

John Victor Cavalcanti de Andrade disse...

Não sei o porque que a colocaram como piloto de desenvolvimento mas e muito melhor ver ela desenvolvendo um carro do que um "Macho Vei".