quarta-feira, 15 de julho de 2015

As imagens do dia



Ontem, como sabem, meti três fotos do acidente mortal de Francois Cevért, que aconteceu a 6 de outubro de 1973 no circuito de Watkins Glen, no estado de Nova Iorque, num ângulo inédito até então. Eram imagens que nunca tinha visto - e pelas reações que vi, quase ninguém - e mostravam o minuto seguinte ao seu acidente.

Contudo, ainda ontem, o Rui Amaral Jr. colocava no seu blog outras imagens do acidente mortal do piloto francês, vistas por outro ângulo, noutro lugar, mas do qual só conhecia uma imagem. As outras não conhecia, principalmente, aquela em que se vê Jody Scheckter a pedir ajuda para tentar socorrer o piloto da Tyrrell. E aparecer coisas como estas um dia após o outro, na minha opinião, é algo demasiado bom para deixar passar.

E são essas imagens que coloco, no instante após o acidente fatal, com todos a socorrer o piloto, não sabendo que nada podem fazer. E na última foto, é particularmente pungente porque o carro que está entre o BRM do - provavelmente Clay Regazzoni - e o Ensign do Rikky van Opel é o Tyrrell de Jackie Stewart, que iria ter a pior das suas despedidas.

6 comentários:

Vitor Veine disse...

É fantástica a primeira foto, vi várias vezes, e aos poucos vou prestando atenção aos mais mínimos detalhes, é possível ver o capacete de Cevert...

Rui Amaral Lemos Junior disse...

Caro Paulo, não sou muito de mostrar tragédias como esta de François que na época assim como outras me abalaram muito, mas a emoção de meu amigo Caranguejo era latente em seu e-mail e resolvi mostra-las.

Aos que se foram, amigos ou ídolos.

Um abraço

Paulo Alexandre Teixeira disse...

Caro Rui:

Mesmo eu, que nem era nascido na altura, acho estas fotos bem fortes. E nunca fiquei indiferente a uma figura como a do Francois Cevért.

Rafael Schelb disse...

Simplesmente impressionantes, essas fotos. Dá pra ter, ainda mais, a real da noção da violência do acidente.

Teddy disse...

No caso do Koinigg, as barreiras também não cumpriram com sua função. Muito por culpa de dois acidentes nos treinos, que danificaram sua estrutura. Derek Bell foi um dos que bateu no local. Aqui um outro ângulo do choque frontal do Surtees do austríaco. http://rennlist.com/forums/attachments/racing-and-drivers-education-forum/769437d1381695363-rush-h-koenig-accident-1974-wg-gp.jpg

Sergio Telles disse...

O padrão de segurança dessa época era completamente absurdo, uma escapada simples resultava na morte de pilotos, ou em ferimentos muitas vezes sérios. O Stewart fez certo de parar de correr, já tinha provado que sobrava na turma, foi cuidar da vida dele.